Atentado na Praça Estrela: MP pede condenação

19/04/2012 00:02 - Modificado em 18/04/2012 22:08

O Ministério Público pediu a condenação do arguido, Fábio Júnior “Picareta” pelo facto de ter tentado assassinar um jovem na Praça Estrela. Fábio baleou Belton Delgado com dois tiros nas costas no dia 31 Dezembro 2010, por volta das 12 horas. O caso foi entregues as autoridades judiciais e “Picareta” foi acusado de homicídio na sua forma tentada. Para além de Fábio, o processo tinha como arguido, outros três indivíduos que acompanhavam o agressor no dia do ataque.

A audiência de julgamento deste processo-crime chegou ao fim depois de várias delongas que impediam o interrogatório das pessoas arroladas ao processo.

Nesta sessão a defesa dos arguidos envolvidos neste caso e o Ministério Público procederam as suas alegações finais, sendo que o MP pediu a condenação de “Picareta” porque ficou provado que este tinha intenção de matar a vítima. De recordar que Belton Delgado foi baleado com dois tiros, das quais um  lhe deixou com uma bala alojada na região lombar esquerda. Para além dos tiros com uma pistola 6.35, Belton levou um soco na face.

Alegações

Para a representante do Ministério Público conseguiu-se argumentos probatórios que apontam que Fábio Júnior cometeu um crime de homicídio na sua forma tentada. Segundo o MP, o tribunal deve fazer a convolação do crime, sempre levando em conta que o arguido ao fazer dois disparos tinha intenção de matar Belton. Para o MP “Picareta” deverá ser condenado pelo crime de homicídio simples na sua forma tentada previsto e punível no artigo 122º do CP.

Em relação ao arguido Daniel que desferiu um soco à vítima, o MP pediu a condenação pelo crime de ofensas simples. Quanto a Ravidson pelo facto de ter guardado a arma do crime deve ser condenado pela prática de um crime de encobrimento e Ivanildo deverá ser absolvido porque não actuou no dia da ocorrência.

De acordo com a defesa de Fábio Júnior, o seu constituinte deve ser condenado porque cometeu um acto punível pela lei. Porém que o tribunal leve em conta o arrependimento e a confissão do arguido. Bem como este está decidido em reintegrar-se na sociedade, porque tem um papel importante na sua família.

Por seu lado a defesa dos arguidos Daniel, Ravidson e Ivanildo pede que o juiz absolva os seus constituintes dos crimes lavrados na acusação. A leitura da sentença deste processo ficou marcada para o dia 8 de Maio.

  1. Mario

    Pura covardia!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.