Ilha do Sal: vendedores preferem vender peixe nas ruas do que vender no mercado

12/03/2018 07:02 - Modificado em 12/03/2018 07:02

Recentemente restaurado, o mercado da ilha do Sal, nos Espargos, continua sem atrair os vendedores de peixe que preferem as condições oferecidas pelas ruas.

Os/As vendedores/as de peixe continuam a encher as ruas de Espargos sujeitos à perseguição dos fiscais. Os vendedores de peixe, quem com alguidares, quem com carrinhos de mão, quem nos carros a buzinar pelos arredores da cidade para chamar a atenção dos clientes, justificam tal situação com a falta de condições do mercado de peixe, que além de estar afastado, não tem espaço para albergar as inúmeras peixeiras e vendedores de peixe locais.

De acordo com a Inforpress, apesar de há bem pouco tempo se ter procedido à restauração do mercado, nomeadamente a nível do pavimento e a colocação de mais seis bancadas em alumínio para exposição do pescado, as vendedeiras continuam a queixar-se do estado de degradação do mesmo, facto que leva a vender o pescado na rua.

A construção de um mercado de peixe novo para a cidade de Espargos é uma reivindicação antiga dos comerciantes e frequentadores cuja exigência deverá, entretanto, ser atendida ainda este ano, face ao anúncio do edil Júlio Lopes da construção de um novo mercado para a cidade de Espargos, a ser edificado nas antigas instalações da DMN, antigo quartel, em Morro Curral, que comporta, também, uma peixaria.

Enquanto isso não acontece e por questões de segurança alimentar, a vereadora Carla Carvalhal já avisou que a Câmara não vai tolerar a venda de peixe e carne na rua.

Também se aguarda a construção da Praça Municipal, com área para verduras, peixe e carne.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.