“Tufão 2012″: Exercício de combate ao narcotráfico

6/11/2012 00:06 - Modificado em 6/11/2012 00:06

Para testar a capacidade de resposta dos militares num cenário de guerra ao narcotráfico, os militares da 1ª Região Militar participam no exercício “Tufão 2012” que tem a duração de três dias na zona do Calhau. Entre os exercícios propostos está a tentativa de resgate de reféns em cativeiro por narcotraficantes.

 

Tendo em conta a situação mundial do narcotráfico, segundo quanto afirma o Comandante da 1ª Região Militar, Anildo Morais à RCV, deve-se continuar a treinar os militares para este tipo de situação. Este exercício abrange as vertentes técnico-prática da parte operacional.

E o comande mostra-se confiante nos resultados positivos deste exercício “tendo em conta os níveis de treino realizados” pelos militares. Estão destacados, nesta operação, 250 militares.

  1. Baldoque

    Como é que é possível 250 militares??? Não está um pouco exagerado esse número?? Se 1ª Região (quando passava por lá, e não foi a muito tempo) não tinha 250 militares, oficiais, sargentos e praças incluídas)
    Hummmmmmmm. Mentirinha ehm?
    E a foto é da 3ª Região Militar

  2. ARMY

    Apenas um comentário de alguém que já esteve numa tropa especial fora de Cabo Verde, e em 02 cenários de guerra. Este tipo de exercício deve ser desenvolvido preferencialmente à noite por duas razões muito simples:1. Apanhar os “bandidos” desprevenidos, e 2. Evitar o mínimo de danos colaterais (a noite as pessoas que circulam na rua são menos). Outrossim, tendo um cenário como Calhau, deveria ser equacionado a fuga dos bandidos por via marítiva (logo, necessidade de envolver os fuzileiros, barcos peneumáticos, saldados anfíbios, etc). Equacionar um teatro de assalto sem granadas de luz e som (CPOR/06) ou mesmo granadas GL-307, sniper’s, etc, torna-se complicado. E mais, deixem de falso moralismo porque aqui em Cabo Verde sabemos exactamente quem é quem, logo, podem ir directamente á casa dos traficantes e os prender.

  3. Jose Rui

    Forças companheiros de armas,continuem com o vosso trabalho a bem da instituição castrense que é uma referencia no nosso País a bem de Cabo-Verde e do povo Caboverdiano.Não liguem aos comentários maldosos.Espero que tenham sucesssos nestes e nos futuros exercicios.

  4. Mindelense

    Muito bem ARMY, isso mesmo, muito esclarecedor, a lancha voadora provou que todos sabem quem é quem como disse aqui, uma simples operação de surpresa (executada por policiais que não sejam corruptos) com um mandato de busca e apreensão de um juiz (que não seja corrupto), e já está.

    Agora será que há interesse em colocar esses animais na cadeia? Pra mim tráfico de drogas deveria ser pena de morte como na China, Indonésia, Malasia, Philipinas, etc….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.