UCID  vai apresentar queixa à ARC contra a TCV

2/03/2018 01:27 - Modificado em 2/03/2018 01:27
| Comentários fechados em UCID  vai apresentar queixa à ARC contra a TCV

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID-oposição), manifestou  a sua indignação com o comportamento da Televisão de Cabo Verde (TCV) que, conforme frisou, “deliberadamente tem criado condições para boicotar o trabalho político do partido”.

O presidente da UCID, António Monteiro fez esta acusação durante a sua intervenção esta quinta-feira no Parlamento, no período antes da ordem do dia, tendo afirmado que “existe uma vontade séria deste órgão de comunicação social estatal de silenciar o seu partido e de manter o povo numa escuridão em termos de informação política e sobre o caminho que o país está a seguir”.

António Monteiro explicou que durante a sessão parlamentar desta quarta-feira, 28, a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID-oposição) fez uma declaração política que teve como propósito o concurso internacional lançado recentemente pelo executivo para as linhas marítimas de cabotagem, e que, embora estando presente, a TCV não fez nenhuma referência ao assunto nos seus conteúdos noticiosos e muito menos informou que a UCID tinha feito uma declaração política.

Face à esta situação o presidente da UCID não escondeu o seu repúdio devido ao comportamento da Televisão de Cabo Verde, tendo sublinhado que a mesma não teve a mínima responsabilidade exigida a uma estação pública “que é de informar o povo sobre a situação política e de desenvolvimento do país”.

“Dizemos isso com acerto, porque não é a primeira, segunda nem a terceira vez que a TCV de forma deliberada cria condições para boicotar o trabalho político que o partido vem fazendo, enquanto que a declaração política do MpD e do PAICV são notícias e manchetes”, enfatizou.

Na sua intervenção, o deputado pediu ainda ao ministro que tutela a pasta da comunicação social a solicitar explicações junto do conselho de administração da RTC sobre o que se passou de facto, esperando que o caso não aconteça novamente.

“A pergunta que se coloca aqui é por que razão é que fizeram isso, se há alguma estratégia montada para silenciar o partido ou se foi um mero acaso”, questionou, avançando ainda que a UCDI irá apresentar uma queixa à Autoridade Reguladora para a Comunicação Social (ARC).

Por seu turno, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente lamentou a situação e incentivou o líder da UCID a se dirigir à entidade reguladora do sector para apresentar uma queixa.

“Eu quero felicitá-lo por não ter vindo ao Parlamento acusar o ministro e o Governo de manipular a imprensa e estaremos do seu lado para que a UCID tenha todo o seu espaço na Praia, em São Vicente e em todo país para a divulgação das suas ideias”, confirmou.

Ao usar também da palavra sobre este assunto, o deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) repudiou a situação e disse que é preciso averiguar por que razão isso aconteceu hoje à UCID, porque amanhã poderá ser também um outro partido a ser penalizado.

“Habitualmente todas as declarações políticas são dadas a devida cobertura e hoje em dia a Assembleia Nacional tem imagens captadas diretamente e que podem ser retransmitidas para qualquer estação de televisão”, indicou sublinhando que é de se estranhar uma vez que a TCV esteve presente durante a sessão parlamentar onde foi feita a declaração política.

 

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.