Cibercrime: Defesa de  Rui e Flávio  recorre para o Tribunal da Relação

28/02/2018 01:55 - Modificado em 28/02/2018 02:00

A defesa dos irmãos Rui e Flávio Alves condenados   pelos crimes ameaça de morte, coacção, chantagem e agressão sexual recorreu junto do Tribunal da Relação de Sotavento da sentença proferida pelo juiz de 1ª instância . De acordo com o jornal a Nação, que não cita as fontes , a defesa recorre  do tempo de condenação aplicado aos seus clientes e da medida cautelar  que determina que  devem aguardar o desfecho do recurso  em prisão preventiva. O advogado disse a  ANação que “  Não faz sentido porque já estavam em liberdade na altura do julgamento”. Quanto a  pena aplicada recorre porque considera que  tempo de prisão para   Rui Alves é “exagerado, tendo em conta a sua idade”. O advogado defende que o juiz não andou bem ao decidir com base na Lei do Cibercrime  aprovada em Março de 2017, dado que na altura dos factos esse lei não estava em vigor .

Os dois irmãos foram detidos em Março de 2017, por suspeitas de vários crimes, nomeadamente, ameaça de morte, coacção, chantagem e agressão sexual, na cidade da Praia

Rui e Flávio Alves foram, em Fevereiro último, condenados a 33 e 14 anos de prisão, respectivamente, pelo Tribunal da Praia. As arguidas Miqueia Silva e Emeleina Silva, tidas inicialmente com cúmplices, foram absolvidas.

  1. Maria José

    Idade? Idade o caracas. Deveria ser prisao perpetua, já que nao sabemos quando é que ele morerá. É oq ue dá esses advogadinhos formados em Cuba.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.