JCF solidário com Rúben Semedo

28/02/2018 01:50 - Modificado em 28/02/2018 01:50

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, reagiu na sua conta pessoal do Facebook, à situação que envolve o futebolista Rúben Semedo que está detido preventivamente em Espanha. Com 23 anos, é acusado de tentativa de homicídio, agressão, ameaça, sequestro, posse ilegal de armas e assalto.

De acordo com o jornal Las Provincias, o autor da queixa acusa Rúben Semedo e outros dois homens de o terem atado e agredido em casa do jogador. Depois, os agressores terão roubado não só as suas chaves de casa mas também dinheiro e tudo o que os pudesse implicar no assalto. A vítima, que apresentava várias contusões no corpo, contou que o antigo jogador do Sporting ameaçou cortar-lhe um dedo e que um dos outros assaltantes ainda disparou dois tiros, sob forma de ameaça.

Jorge Carlos Fonseca escreve: “Procuro, estou a procurar saber o que se passa com o futebolista Rúben Semedo. Acompanho e interesso-me pelo caso. Este está sob a alçada das legítimas autoridades judiciárias espanholas. Mas não posso, não podemos desinteressar-nos de todo do que se passa ou se vai passar. Como cidadão cabo-verdiano, pelo menos, vejo-o também como um dos «nossos» e não posso alhear-me de todo. Sinto-me «tocado» pelo caso e pelo homem, pelo jovem, pela pessoa”.

Mesmo vendo Rúben Semedo como “um dos nossos”, Jorge Carlos Fonseca apela para a necessidade de se respeitar a autonomia da justiça espanhola.

“Não se pode, naturalmente, interferir numa situação que está a ser tratada por quem de direito. Apenas desejamos que Ruben Semedo seja tratado como qualquer outro cidadão num Estado de Direito, nem melhor, nem pior, pelas autoridades e pela imprensa”, conclui o presidente.

No que toca  aos desenvolvimentos sobre este caso, notícias de última hora dão conta que o Tribunal Superior de Justiça da Comunidade Valenciana chegou a acordo com o defesa português para arquivar  uma das acusações das quais o jogador era alvo, a de ameaças e maus-tratos.

  1. Letcha Vieira

    Atendendo que Rúben está também em posse dum passaporte português esperamos que o Governo de Cabo Verde bem assim como o Presidente da República deverão fazer uma máxima pressao sobre o Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa afim dele convocar o Embaixador de Espanha em Portugal manifestando-lhe a sua indignação e o repudio do povo cabo-verdiano pela atitude injusta, ilícita e incorrecta, para não dizer também racista pois o termo está bastante desgastado, por terem prendido injustamente um exemplar é inocente cidadão luso-cabo-verdiano que é uma referência para a nossa juventude tanto em Cabo Verde como em Portugal e quem sabe talvez já na Espanha.
    Como é lógico o Ministério dos Negócios Estrangeiros em Cabo Verde deverá também convocar o Embaixador de Espanha em Cabo Verde protestando energicamente contra tais abusos discriminatórios da Justiça Espanhola e manifestando também a solidariedade do povo cabo-verdiano para com Rúben, uma vítima de comportamentos xenófobas das autoridades espanholas.
    E se tal resultar num conflito diplomático Cabo Verde que foi ferido no seu orgulho e na sua dignidade como Estado e Nação deverá manter firmemente a sua posição de Pais soberano e independente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.