Casa de tambor: uma problema eterno nas fraldas de Mindelo

23/02/2018 03:04 - Modificado em 23/02/2018 03:04
| Comentários fechados em Casa de tambor: uma problema eterno nas fraldas de Mindelo

Nos últimos dias, as temperaturas em Cabo Verde têm sido baixas com um clima de frio. Frio fora do normal para as pessoas e a atenção volta-se para as pessoas que vivem em casas de tambor. As pessoas que moram nesse tipo de habitação acostumam-se com o clima, isto é, independentemente do clima, este é sentido com maior intensidade. A proliferação de casas de tambor na ilha é uma realidade. No último ano, o Governo anunciou a intenção de resolver o problema, mas a questão ainda perdura.

Uma situação que era para ser momentânea, como dito por alguns entrevistados: construir uma casa de tambor para melhorar com o tempo mas, muitas situações persistem. Fuga do pagamento de renda, privacidade, espaço próprio, são várias as razões que levam as pessoas a optarem por este tipo de construção.

Carlos Duarte diz que há cerca de dois anos que construiu a sua casa de tambor e que sempre foi sua intenção melhorar o local onde mora construindo, aos poucos, uma casa de blocos. “Todas as pessoas querem viver bem e terem um espaço melhor, mas só que ainda não tive a oportunidade de fazer como queria”, revela. A falta de emprego fixo limita as opções quando o que ganha até agora é para o sustento, sem capacidade para guardar e comprar material. Não é o único nesta situação. César Santos morava com a mãe numa casa de tambor; a mãe mudou e ele ficou na casa. “Estou aqui há cerca de ano e meio. Com o terreno todo marcado, o desejo é construir uma casa condigna”. Como Carlos, também tem enfrentado dificuldades na medida em que o dinheiro “não tem dado para muita coisa”.

Nesta época do ano onde se faz sentir muito frio, mesmo com uma melhoria das condições do tempo nestes últimos dois dias, a situação não é das melhores. “É assim. Quando faz frio, o frio é intenso e quando faz calor, é a mesma situação”, revela Miriam Fonseca. Um situação nada fácil mas que as pessoas vão aguentando. “As pessoas vão-se acostumando a viver assim. Cada um procura a melhor forma que tem para viver e, para nós, foi esta solução que encontrámos porque há que se acostumar”, revela Anilton Lima.

O desejo de uma casa melhor é generalizado. O desafio é conseguir. Uma das questões reveladas por alguns entrevistados é a questão da licença e legalização de terrenos. Avançam que resolvida esta questão  podem construir sem receio. E o pedido  é que os terrenos possam ser legalizados para poderem procurar a melhor forma de resolverem a questão das casas de tambor com uma construção de uma casa condigna.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.