Criminalidade diminui no Porto Novo mas aumenta na Ribeira Grande e no Paul

23/02/2018 02:17 - Modificado em 23/02/2018 02:17
| Comentários fechados em Criminalidade diminui no Porto Novo mas aumenta na Ribeira Grande e no Paul

A Polícia Nacional divulgou hoje uma análise comparativa dos dados de ocorrências criminais registadas em 2017 em relação a 2016, concluindo que, nesse período, a criminalidade diminuiu no Porto Novo mas aumentou na Ribeira Grande e no Paul.

No concelho do Porto Novo, o número de ocorrências diminuiu 10 por cento (%), com 440 ocorrências registadas, menos 49 que em 2016.

Nos crimes contra pessoas houve um total de 268 ocorrências, menos cinco casos que em 2016, uma redução de 02%.

De acordo com o documento, os três crimes mais frequentes são a VBG (Violência Baseada no Género) com 69 casos, mais oito que em 2016, a ofensa corporal com 66 ocorrências, menos quatro que em 2016, e a Injúria com 52 ocorrências, mais nove que em 2016.

No que toca ao abuso sexual de menores registaram-se cinco ocorrências, mais um que em 2016, no crime de agressão sexual registaram-se dois casos, mais dois que em 2016, e nos homicídios não houve nenhum registo, menos um que em 2016.

Nos crimes contra património registaram-se 172 ocorrências, menos 44 casos que em 2016, significando uma redução de 20%, com 90 casos de furto, mais três que em 2016, e 34 casos de roubo, menos nove que em 2016.

No concelho da Ribeira Grande, o número de ocorrências aumentou 19%, com 353 ocorrências registadas, mais 57 que em 2016, sendo que nos crimes contra pessoas aumentaram 32% com o registo de 224 ocorrências, mais 54 que no ano anterior.

Os três crimes mais frequentes foram ofensa corporal com 82 ocorrências, mais 16 que em 2016, VBG com 51 ocorrências, mais 19 que no ano anterior, e ameaça com 31 ocorrências, mais dois que em 2016.

Segue-se o abuso sexual de menores cujo número de casos duplicou, de seis casos em 2016 para 12 em 2017, manteve-se o número de casos nos dois anos em referência, cinco, e não se registou nenhum homicídio contra um do ano 2016.

Nos crimes contra património registaram-se 129 ocorrências, mais três casos que em 2016, significando um aumento de dois por cento, o crime de furto a registar 50 ocorrências, menos três que em 2016 e o de roubo com um registo de 27 ocorrências, mais um que em 2016.

No concelho do Paul registou-se o maior aumento da criminalidade na ilha de Santo Antão, com 31% dos casos, sendo 160 ocorrências, mais 38 que em 2016.

Nos crimes contra pessoas registaram-se 109 ocorrências, mais 34 casos que no ano anterior significando um aumento de 45%.

A ofensa corporal vem no topo dos três tipos de crime mais frequentes no Paul com 42 ocorrências, mais 11 que em 2016, a ameaça vem a seguir com 23 ocorrências, mais 14 que no ano anterior, e a injúria registou 22 ocorrências, mais seis que em 2016.

Abuso sexual de menores (um caso, menos um que no ano anterior), agressão sexual (nenhuma ocorrência, menos um que no ano anterior), VBG (19 casos, mais oito que no ano passado) e nenhum caso de homicídio tal como no ano anterior.

Nos crimes contra o património registaram-se 51 ocorrências, mais quatro que no ano anterior, significando um aumento de 8,5%, com 24 casos de Furto, mais dois que em 2016, e nove ocorrências de roubo, menos um que em 2016.

 

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.