Faz 14 anos que Miki Fehér morreu

26/01/2018 02:47 - Modificado em 26/01/2018 02:47

A morte de Fehér a 25 de Janeiro de 2004, na altura com 24 anos, é um dos eventos mais chocantes do futebol português e para o Benfica e, nesta quinta-feira, completaram-se 14 anos desse dia trágico.

Certamente o dia 25 de Janeiro de 2004 é uma das datas inesquecíveis para toda a família benfiquista e também para todos os amantes do desporto, pela negativa, isto após a morte do avançado húngaro com apenas 24 anos, depois de ter caído inanimado em pleno relvado do Dom Afonso Henriques em Guimarães, um momento acompanhado em todo o mundo pelas transmissões televisivas do jogo.

O relógio marcava exactamente 20h:30minutos de Cabo Verde, quando um dos Estádios mais ruidosos de Portugal, parou para um momento de grande expectativa e consternação nas bancadas, após a queda no terreno de jogo do jovem avançado que estava em campo há apenas trinta minutos depois de substituir João Pereira. O jogo até viria a ser reatado mais tarde com o Benfica a sair vencedor do encontro com um golo solitário, apontado por Fernando Aguiar aos 90 minutos, um resultado que pouco tempo depois deixou de ter o mesmo sabor após o apito final do árbitro.

Tudo aconteceu após a demora de Rogério Matias em efectuar o lançamento da linha lateral, em que Fehér viu o cartão amarelo das mãos de Olegário Benquerença, juiz do encontro. O jogador encarnado riu na sequência do lance, declinando o corpo para a frente e, de seguida, caiu desamparado no terreno de jogo. A atitude dos jogadores em campo tanto de uma como de outra equipa, dava a entender o quão grave era a situação com o húngaro. Após sucessivas tentativas falhadas para o tentar reanimar em pleno relvado, o jogador ainda seguiu de ambulância para o hospital Senhora da Oliveira, com uma paragem cardiorrespiratória. No entanto, o momento inglório para todos os amantes do futebol mundial que expectantes, aguardavam por notícias do estado de saúde do avançado, aconteceu por volta das 22:40 h de Cabo Verde quando foi declarado oficialmente o óbito do húngaro.

Por vários dias o mundo do futebol parou em homenagens ao jogador encarnado, um episódio que por muito tempo foi incapaz de ser apagado da memória e que trouxe muita dor, luto e emoção por todo o mundo. Fehér viria a falecer de cardiomiopatia hipertrófica, uma doença que não foi detectada nos exames, mas que desde então tem merecido muita atenção. O número 29 das camisolas do Benfica viria a ser retirado. O jogador foi sepultado na sua terra natal, em Gyor, Hungria.

O 25 de Janeiro para o mundo benfiquista e não só fica marcado pela tragédia do Dom Afonso Henriques, no mesmo dia em que o astro encarnado Eusébio completaria os seus 62 anos de vida. Eusébio que se estivesse vivo hoje, completaria 76 anos.

 

 

 

 

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.