MCIC : “A conquista de Leão de prata por Marlene Freitas é um momento alto para a cultura cabo-verdiana “

18/01/2018 00:05 - Modificado em 18/01/2018 00:08

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC), Abraão Vicente, felicita a coreógrafa cabo-verdiana, Marlene Monteiro Freitas, pela distinção com um prémio de carreira na Bienal de Dança de Veneza, Itália com a medalha Leão de Prata de Veneza.

O Ministro Abraão Vicente considera que esta é a mais importante e prestigiosa premiação atribuída a um artista cabo-verdiano nas artes cénicas e dança a criação contemporânea desde dos primórdios da nação.  Em outros sectores da cultura apenas encontramos paralelo no Grammy recebido pela Cesária Évora. Para o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, a medalha atribuída agora a Marlene Monteiro Freitas é não só um reconhecimento ao trabalho que a coreógrafa cabo-verdiana apostou desde os 18 anos, quando deixou Cabo Verde rumo à Europa para estudar a dança, mas também um feito histórico e um momento alto para a cultura cabo-verdiana.

Cabo Verde orgulha-se de do trabalho da nossa artista e criadora Marlene Freitas que assim se transforma num exemplo a seguir pelo jovens cabo-verdianos. Freitas é um exemplo positivo à nova geração de criadores cabo-verdianos pela disciplina, técnica, empenho e capacidade de inovação. Marlene torna-se assim um orgulho nacional, pelo que fica o desafio a todos os cabo-verdianos de incorporarem a importância deste prémio na sua própria história. Esta premiação é também um desafio ao Estado de Cabo Verde para melhorar e criar novos metodologias d ensino voltado para as artes no sentido de se propiciar a desenvolvimento de mais talentos de alto nível como é o caso de Marlene Freitas.

Marlene Monteiro de Freitas tornou-se uma das mais aclamadas coreógrafas e bailarinas na Europa e isso vem se traduzindo nas distinções que vem recebendo nos últimos anos. Recorde-se que só em 2017, a coreógrafa recebeu duas distinções. A primeira, em março de 2017, como a melhor coreógrafa de 2017 em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Autores, com a obra “Jaguar”, e a segunda pelo Governo de Cabo Verde que lhe atribuiu a medalha de mérito cultural de 2º grau, no âmbito do Dia Nacional da Cultura, celebrado a 18 de outubro.

 

É com enorme alegria e orgulho que o Governo de Cabo Verde recebeu a notícia da distinção de prémio carreira a Marlene Monteiro Freitas que junto com ela tem elevado também o nome e da bandeira nacional nos vários palcos do mundo.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.