Olavo Correia acredita no milagre : Aumentar arrecadação de impostos sem aumentar impostos

17/01/2018 05:00 - Modificado em 17/01/2018 05:00
| Comentários fechados em Olavo Correia acredita no milagre : Aumentar arrecadação de impostos sem aumentar impostos

Para o governo o estado precisa arrecadar em impostos quarenta e três milhões, por ano. Neste momento como avança o Ministro da Economia o país arrecada menos três milhões, e este é um passo, segundo o governo para que o país possa funcionar sem recorrer ao endividamento.

Como explica o ministro das finanças,  Olavo Correia,  no momento o país arrecada quarenta milhões, e que se consegue chegar a meta traçada ainda em 2018, o que significaria vinte por cento do PIB, e se conseguir alcançar esta meta o país terá “um défice completamente equilibrado em Cabo Verde, até com um excedente””

Para o ministro existe “muita informalidade em Cabo Verde”, e o país precisa por um lado formalizar a economia, e por outro lado, combater a evasão ao fisco. “Vamos apostar numa administração fiscal mais eficiente, mas zelosa e mais cumpridora das suas obrigações com mais meios humanos, institucionais e tecnológicos para que todos paguem impostos e cada um pague menos”.

Segundo o governo este montante de quarenta e três milhões de contos fará com que o país possa funcionar. E menciona que é necessário investir na saúde, na segurança, na educação na formação profissional, e o país necessita de recursos, e “estes recursos só podem advir hoje dos impostos”, como sublinha Olavo Correia. “Não podemos continuar a fazer funcionar o Estado de Cabo Verde com base no aumento do endividamento”, como assevera.

Apesar de centrar o funcionamento do país na arrecadação de impostos em vez de recorrer ao endividamento externo, Correia avança que o governo não pretende aumentar os impostos, mas sim uma aposta na justiça fiscal, para que todos possam pagar os impostos, e que “paguem menos”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.