Mulher argentina ataca filha de três anos com brutalidade por causa de “tablet”

10/01/2018 00:37 - Modificado em 10/01/2018 00:37
| Comentários fechados em Mulher argentina ataca filha de três anos com brutalidade por causa de “tablet”

A extrema violência de uma mulher com uma filha, de três anos, indignou os vizinhos e o Mundo. A Justiça argentina afastou-a dos filhos. As imagens, duras de ver, são suscetíveis de ferir a sensibilidade dos leitores.

As palmadas, secas e duras, ecoam no coração de quem vê as primeiras imagens do filme, gravado numa casa em Bahía Blanca, na Argentina. Por entre gritos de “dá-me o tablet ou mato-te”, vê-se depois uma mulher a agarrar a filha, de três anos, pelos cabelos e a levantá-la acima dos próprios ombros, antes de a atirar ao chão e pontapear.

Imagens duras e agoniantes. Um vídeo que deixa um nó de incompreensão na garganta. A extrema violência desta mãe, de 23 anos, chocou a Argentina, depois o Mundo. Os vizinhos também não lhe perdoam e a mulher teve de mudar de casa.

“A mulher está angustiada e reconhece o que fez”, contou ao jornal espanhol “El País” a subsecretária da Infância de Bahía Blanca, sem identificar a jovem. Mãe pela primeira vez ao 17 anos, a mulher cresceu num ambiente marcado pela violência do pai.

 

O vídeo foi gravado em dezembro, antes de a avó materna ter pedido a guarda das crianças, duas meninas, de cinco e três anos, e um menino, filho de outro homem.

“Desde o Natal que as meninas estão com os avós paternos”, contou Leticia Tamborindeguy. O rapaz está institucionalizado, a aguardar o desfecho do processo

“Este caso teve muito impacto social por causa do vídeo, porque o nível de violência física e verbal é elevado e a sociedade não está habituada a ver este tipo de situações ao vivo e em direto”, disse Leticia Tamborindeguy.

“Mas, estes casos existem”, acrescentou Leticia, avançando com os números que dão expressão a esta dura realidade. Todos os anos, a secretaria de Infância de Bahía Blanca atende cerca de 3200 casos que atentam aos direitos de crianças e adolescentes, que incluem casos de maus tratos, abuso sexual, negligência e abandono.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.