Amigos de Paulo Rocha revoltados : quem faz parar  a espiral de violência ? 

3/01/2018 01:36 - Modificado em 3/01/2018 01:36

Amigos e parentes  de Paulo Rocha  estão revoltados  com assassinato do  amigo na madrugada do dia 01 de Janeiro no centro da cidade, por suposta represália à agressão de um jovem vítima de um ataque com uma catana no polivalente da zona de Fonte Francês.

Esta terça-feira, estava agendado o enterro do jovem, mas o funeral  foi adiado para esta tarde, quarta-feira, com partida da sua residência em Ribeira Bote, por estarem à espera do irmão da vítima.

No local, o sentimento de revolta predominava no seio dos amigos e familiares que, inconformados, esperam que justiça seja feita. Sabe-se que o suspeito do assassinato já foi detido pela polícia e encontra-se à espera de ser apresentado ao Tribunal para conhecer a medida que coacção que lhe será aplicada.

Entretanto, em conversa com dois jovens da zona, estes dizem que já sabem da detenção, mas que de nada vai adiantar, porque querem retaliação pelo que afirmaram: “Agiu de forma covarde, pelas costas e não foi homem suficiente para o encarar. E agora está morto, mas isso não vai ficar assim”, afirma um dos jovens da zona que não se quis identificar e nem ser referenciado como sendo membro do grupo rival da zona de Fonte Francês.

“Já estivemos ali uma vez, mas só agora começamos e não vamos parar até conseguir o que queremos”, assegura outro jovem.

Mas o certo é que agora que isso começou e já levou a vida de  um jovem, parece que não vai ter fim e que os ataques apenas vão aumentar, já que a revolta é grande. Sabe-se, no entanto, que o grupo de Ribeira Bote fez uma incursão pela zona de Fonte Francês, trajado de negro, à procura dos membros do grupo de “Tilis” e que não os encontraram.

Apesar disso, garantem estar firmes no seu propósito de retaliação por este crime que abalou a zona de Ribeira Bote logo à entrada do ano novo.

Em relação ao suposto agressor, o mesmo está detido e ainda não foi apresentado ao Tribunal. Segundo informações recolhidas por este online, será apresentado amanhã, ainda dentro do prazo legal de 48 horas que a polícia tem para apresentar um suspeito ao Tribunal para ser ouvido.

Enquanto o destino de um será muito provavelmente a cadeia, o outro, é mais uma vítima, a primeira mortal da mais recente guerra de gangs e irá conhecer a sua última morada esta quarta-feira, directamente de Ribeira Bote.

A PN está atenta a qualquer movimento de ambos os lados.

  1. Body Cop

    NN pensa que está a prestar um grande serviço à sociedade com este tipo de “jornalismo”. Na verdade está a atiçar os ânimos a cada “peça” com esse seu estilo de especulação. Depois aparecem aqui a pedir paz, calma, prudência, etc tirando o corpo fora. Afinal o que é mais importante, a paz social ou manchetes bombásticas sem conteúdo?

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.