2018: O ano da democracia popular

3/01/2018 01:09 - Modificado em 3/01/2018 01:09

Janeiro é conhecido pelos três feriados, Dia da Democracia, do Município e dos Heróis Nacionais. O primeiro feriado, Dia da Democracia, dia 13 de Janeiro, já há muito que tem vindo a ser reservado pela Sokols, a responsável pela manifestação realizada no dia 5 de Julho.

Os movimentos de cidadania têm ganho força trazendo temas ao debate, assim como reivindicado medidas. A regionalização tem sido um dos temas de debate introduzido por grupos de cidadãos.

Os níveis de protesto têm aumentado com formas inéditas de manifestar, como aconteceu com a Sokols que protestou à entrada da comitiva do Governo na cidade do Mindelo.

Fim de 2017 marca a metade da legislatura do Governo que tem sido um dos alvos das reivindicações dos grupos de cidadania. Noutro ponto, também a Câmara Municipal não “escapa” às críticas dos grupos de cidadania. Com desagrado demonstrado tanto a nível civil como a nível político, as dimensões do descontentamento podem aumentar quando se juntam os sindicatos que avançam que poderão partir para “outras formas de reivindicação” nas suas lutas.

A manifestação marcará o tom das críticas e do que será feito de forma organizada. No âmbito dos pedidos anunciados pela Sokols estão a descentralização, que permite autonomia, a distribuição justa de recursos, o poder local activo, o trabalho e a segurança.  

Esta será uma acção, mas como o grupo tem assumido na sua comunicação, manter-se-á na luta e com as ferramentas que tiver à sua disposição.

A manifestação de 5 de Julho ganha espaço noutras ilhas com cidadãos a organizarem-se e a protestarem pelas mesmas causas diferenciadas de ilha para ilha.

O “Provedor de Justiça”, na sua página criada no Facebook, para demonstrar as situações nas ilhas e chamar a atenção das autoridades, tem ganho espaço nos debates sociais.

Os grupos têm demonstrado uma perspicácia na avaliação de situações nas ilhas e têm publicado ou feito saber às pessoas as situações. Os cidadãos podem ganhar uma nova força quando, na sua mensagem de ano novo, o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, afirma que “é necessário levar mais democracia à administração, num sistema de maior auscultação e participação dos funcionários, mas também de participação dos cidadãos mas, sobretudo, na criação de uma outra atitude, a de servir os cidadãos e as empresas, a de procurar corresponder às suas preocupações legítimas, realizando os fins típicos de um serviço público”. E ainda, “não basta, porém, que o PIB cresça para que os problemas estejam resolvidos. É preciso que os ganhos da economia beneficiem todos os cidadãos, comunidades, ilhas e concelhos do país, especialmente as comunidades mais distantes dos principais centros urbanos”.

  1. Jose Cabral

    Apenas um reparo ao promotor deste artigo: JANEIRO não tem 3 feriados mas, sim, 4!!! O dia 1, não é feriado???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.