São Vicente: vidas ceifadas na guerra de gangues  

2/01/2018 03:19 - Modificado em 2/01/2018 03:19

Voltamos a publicar um artigo de  setembro de 2013 .O tema é actual : vidas ceifadas numa guerra entre jovens na cidade do Mindelo . Dizem que exageramos quando falamos de guerra . Mas   é uma guerra porque faz mortos e feridos. Provoca lágrimas, dor, revolta. Gera pânico nas comunidades. Assim retomamos  uma historia passado há quatro anos , mas que se repete hoje.

 O NN conta-lhe a história de quatro jovens que tiveram o mesmo destino. Tucim, Richard, Tadi e Kelvin, são quatro jovens, quatro vidas levadas pela guerra de gangs, onde as autoridades faziam crer que a guerra entre os gangs é ficção do jornal NN. Os quatro têm um ponto da história em comum, todos pertenciam a um gang de São Vicente. Os jovens foram assassinados por elementos de gangs rivais que agora cumprem pena na Cadeia de São Vicente.

A contenda de mortes de jovens pertencentes aos gangs iniciou em Setembro de 2009 com a morte do jovem de 17 anos, Tucim. Tucim foi vítima do conflito entre BBH e o gang de Cova, grupo do malogrado Tucim. Ele tinha esfaqueado um elemento do BBH, por isso, no dia 29 de Setembro de 2009, foi morto à facada.

Doze elementos do BBH seguiram Tucim, mas este escondeu-se em casa de um amigo. Porém, dois rapazes entraram na casa, um desferiu um murro na cara e outro espetou-lhe uma facada mortal nas costas. Assim nascia a primeira vítima dos gangs, para mostrar que as guerras não eram ficção dos jornais.

Passados três meses a zona da Bela Vista chorava a morte de Richard Pina (Alpina), jovem de 18 anos. Alpina pertencia ao gang Black Enemy e foi espancado a poucos metros da sua residência por três jovens do Pintcha Andor. Alpina faleceu no dia 2 de Janeiro de 2010 devido a um traumatismo craniano encefálico, pois não resistiu às pedradas e aos pontapés que recebeu na cabeça. Os agressores afirmaram que se tratou de um ajuste de contas, pois haviam sido agredidos anteriormente pela vítima.

A guerra de gangs no Mindelo é uma guerra porque faz mortos e feridos. Provoca lágrimas, dor, revolta. Gera pânico nas comunidades e está a dar muito trabalho à Procuradoria da República e ao Tribunal. Porque a lei do Talião impera na cidade do Mindelo, pelo que os intervenientes pagam o preço de uma guerra sem dor nem piedade.

Cleidir Teixeira (Tadi), 20 anos, membro de um gang em Chã Faneco foi a terceira vítima da guerra de gangs. Em Dezembro de 2010 Tadi foi esfaqueado por um jovem do gang da Ribeirinha. Seis meses antes Tadi levou a melhor sobre o seu agressor numa rixa entre ambos. O jovem esperou seis meses para se vingar e na noite de 20 de Dezembro, Tadi passou pelo gang da Ribeirinha perto do Bar Sabura. Porém, Tadi deu alguns passos, o suficiente para que o seu rival desferisse uma facada fatal nas costas.

Em Março de 2011 as guerras de gangs faziam novo morto nesta ilha, mais uma vez o Black Enemy perdia outro elemento. Na madrugada de 6 de Março o Black Enemy invadiu a Ilha de Madeira, zona do seu rival Pintchá Andor. Durante a troca de pedradas e de garrafadas houve alguns feridos. Porém, Kelvin de 17 anos, pertencente ao Black Enemy foi assassinado por elementos do Pintchá Andor. Kelvin foi agredido da mesma forma que o seu amigo Alpina. Kelvin levou pontapés, pedras na cabeça e na zona torácica e faleceu no HBS devido a traumatismo craniano encefálico.

Os responsáveis pela morte destes quatro jovens já conheceram a própria sentença, pelo que cumprem pena entre 15 a 23 anos de prisão. Assim, São Vicente viu quatro jovens, quatro vidas, levadas pelas guerras de gangs e, ao que parece, o cenário de confrontos está a renascer na ilha

 

  1. Danilo

    Claro que tem de renascer a guerra de gans, policiais fazem greve, terminado a greve, na cidade do mindelo no dia dos consertos na rua de Lisboa, havia muita gente na rua de Lisboa, agora perguntamos onde estavam os policias eu vi apenas seis Bag e um carro de PM com seis militares mais nada.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.