Abaixo-assinado pede a libertação dos brasileiros detidos em Cabo Verde

29/12/2017 01:41 - Modificado em 29/12/2017 01:41

Circula na Internet um abaixo-assinado pela libertação dos três velejadores brasileiros que no mês de Agosto foram detidos no Porto Grande do Mindelo juntamente com um cidadão francês, porque o iate que trouxeram da América do Sul transportava 1157 quilos de cocaína. O teor do abaixo-assinado na íntegra:

MOBILIZAÇÃO PELA LIBERDADE DE 3 VELEJADORES BRASILEIROS PRESOS INJUSTAMENTE EM CABO VERDE

Em Agosto deste ano, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas foram contratados pela agência de recrutamento de tripulação “The Yacht Delivery Company”, com sede na Holanda, para transportarem um veleiro de 72 pés, de bandeira inglesa, saindo de Salvador/Brasil até aos Açores/Portugal. Posteriormente, Daniel Dantas foi chamado para integrar a tripulação.
Movidos pelo sonho de realizarem a travessia do Atlântico e adquirirem experiência (milhas navegadas), os 3 velejadores embarcaram nessa viagem que se tornou num pesadelo.
Na 1ª escala do veleiro, por problemas mecânicos, em Mindelo/Cabo Verde, a polícia encontrou mais de 1 tonelada de cocaína escondida no duplo fundo do casco de ferro e cimento e que os tripulantes, obviamente, desconheciam por estar localizado debaixo dos tanques de água e revestido com cimento e placas de aço. O barco, no período em que esteve parado no Iate Clube de Natal/Brasil, foi vistoriado durante 6 horas pela Polícia Federal, com cães farejadores e foi liberado. Em nenhum momento, os brasileiros contratados tiveram qualquer contacto ou sabiam o que o barco trazia escondido, debaixo das placas de aço soldadas ao casco e revestidas com cimento.
Cabe ressaltar que este veleiro esteve por mais de um ano no Brasil, tendo a maior parte do tempo estado sob reformas no casco que foram realizadas na Marina Ocema, perto de Salvador.
O proprietário do barco conhecido como Mr. Fox, é George “Fox” Saul, cidadão inglês, com residência em Gibraltar e Norwich (UK) que está desaparecido e aparentemente existe um mandato de prisão, estabelecido pela Interpol. O Sr. George Saul esteve inúmeras vezes no Brasil para acompanhar a remodelação de seu barco, sendo que, em pelo menos uma ocasião, ele ficou sozinho ancorado numa praia semidesértica do litoral brasileiro, onde havia uma residência e amplo tempo e privacidade para fazer o carregamento da droga.
Os 3 brasileiros e o capitão francês estão presos desde Agosto. Neste momento, existe uma forte pressão para que eles se assumam culpados, incluindo ameaças à integridade física e se forem considerados culpados, poderão receber uma pena de até 15 anos de prisão.
Os média brasileiros já estão a preparar uma matéria a ser divulgada amplamente nos principais veículos de comunicação do país, a fim de mostrar que a tripulação foi vítima de uma rede internacional de tráfico de drogas.
Solicitamos às pessoas que os conhecem e saibam da idoneidade de cada um deles, que assinem esse abaixo-assinado e deixem os seus comentários, a fim de sensibilizar as autoridades cabo-verdianas da inocência da tripulação que foi usada por uma quadrilha internacional

  1. Fernando

    Não sei quem sao os idiotas que pedem a libertação de criminosos, mas deve ser alguém com interesse negocio. Que fiquem atras das grades muitos anos, é o meu desejo para 2018.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.