Post/ :  Quem teve a ideia e apadrinhou essa treta de querer  ser presidente da CEDEAO ?

18/12/2017 02:05 - Modificado em 18/12/2017 02:05

Andava eu à procura de uma forma de abordar a “choradeira”  que se transformou  a aventura da candidatura de  Cabo Verde a presidência da CEDEAO quando me deparo com um post do jornalista Nuno Andrade Ferreira. O seu enquadramento jornalístico resolve-me o problema . Por que não tenho que ir para o enquadramento que sempre  segui : não sei o que é isso da CEDEAO para Cabo Verde .Nunca soube e por isso sempre defendi a saída do meu país da CEDEAO  . Sempre defendi um estatuto de zona ultraperiférica da Europa  e da Àfrica e nunca a inserção em nenhuma dessas comunidades , pela simples razão que não nos querem  e têm razões para não nos querem e os genes não são para aqui chamados. Nos aturam na certeza que na diplomacia internacional quando os grandes espirram os pequenos abaixam a cabeça . Se em relação a UE fazemos um grande esforço para lá entrar , para lá estar  e nos portamos, muitas vezes, como a galinha que não quer honra e por isso põe o rabo ao vento. Em relação a CEDEAO estamos lá  porque “alguém nos meteu lá” e não sabemos como sair de lá  e deixamos nos estar. Porque eles também não nos colocam no olho da rua mesmo não pagando quotas e não podem fazer como a Guine –Bissau que acabou  com o Estado Unitário e com a  força das armas  correu com os cabo-verdianos para o oceano atlântico na costa ocidental da Àfrica.

E  voltando ao Nuno “Com quantos países da África Ocidental Cabo Verde mantém relações bilaterais políticas e económicas permanentes e consistentes? Quem é o representante permanente de Cabo Verde junto da organização? Quantas vezes, no passado recente, Cabo Verde quis ser voz activa nos processos de decisão sub-regionais? Quantas vezes, em sentido inverso, Cabo Verde se referiu aos vizinhos com algum desdém? E chegados a esse ponto quem teve a ideia e apadrinhou essa treta de querer  ser presidente da CEDEAO? E voltamos ao inicio do post do NAF que tem outro enquadramento que eu não  segui, mas que desagua no meu enquadramento

Eduino Santos

CEDEAO “uma proposta de enquadramento jornalístico do assunto”

Ainda – e finalmente – sobre a presidência da CEDEAO, eis uma proposta de enquadramento jornalístico do assunto. Em quantas capitais da sub-região Cabo Verde tem embaixada? Com quantos países da África Ocidental Cabo Verde mantém relações bilaterais políticas e económicas permanentes e consistentes? Quem é o representante permanente de Cabo Verde junto da organização? Quantas vezes, no passado recente, Cabo Verde quis ser voz activa nos processos de decisão sub-regionais? Quantas vezes, em sentido inverso, Cabo Verde se referiu aos vizinhos com algum desdém?
O argumento oficial das quotas em atraso foi apenas a desculpa perfeita.
Não sei que prioridades Cabo Verde deve ter na sua política externa. O que sei é que não podes estar e não estar, querer e não querer (ou podes, se estiveres disposto a pagar o preço). Analisem os resultados das duas últimas investidas continentais da diplomacia nacional (BAD e CEDEAO) e vejam bem aquilo que o país vale no xadrez das nações africanas. Só para sermos pragmáticos.

https://www.facebook.com/nuno.andradeferreira

  1. leila de pina

    Ó Eduino, kondê bô ta kompô ês anunsie de Fragata ke ta kubri sempre metade d’artig?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.