MP  investiga denúncias de advogado sobre juízes do Supremo Tribunal de Justiça

13/12/2017 00:57 - Modificado em 13/12/2017 00:57
| Comentários fechados em MP  investiga denúncias de advogado sobre juízes do Supremo Tribunal de Justiça

O Ministério Público  confirmou a noticia avançada pelo NN  que iniciou as investigações as denúncias feitas pelo advogado Amadeu Oliveira

“Decorrem na Procuradoria-Geral da República (PGR) os autos de instrução que têm na sua origem denúncias públicas efetuadas pelo cidadão e advogado Amadeu Oliveira contra juízes do Supremo Tribunal de Justiça”.A PGR acrescenta que, desde a abertura de instrução, têm sido “realizadas diligências de recolha de prova”, adiantando que, a 24 de outubro, o denunciante “foi formal e processualmente notificado para juntar os elementos de prova de que dispõe”.

“Os autos continuam a aguardar que venha fazer a junção dos documentos e meios de prova que diz dispor quanto aos factos que deram origem aos presentes autos de instrução”, refere o comunicado.  Mas conforme este online noticiou o advogado compareceu no dia 8 de Dezembro para ser ouvido na condição de denunciante , mas a audição não foi efectuada e  a PGR   adiou sem data marca  alegando  esta não se realizou por motivos técnicos.

“A secretaria ao realizar os testes técnicos para registo áudio da diligência informou processualmente que não estavam garantidas todas as condições técnicas para boa qualidade do registo áudio, e na medida em que o técnico informático responsável pela instalação do equipamento se encontrava ausente da cidade da Praia, entendeu-se por bem adiar a diligência até que o técnico regressasse para assegurar a boa qualidade do registo áudio, o que já se encontra garantido”

.A reação da PGR surge depois de, na segunda-feira, o advogado Amadeu Oliveira ter convocado a imprensa para denunciar o que considera serem indícios de fraude e manipulação sistemática de processos e de interpretação abusiva da lei por parte de vários magistrados, incluindo juízes do Supremo Tribunal de Justiça.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.