Aumento salário mínimo: “sempre se  pode melhorar a proposta”

12/12/2017 07:12 - Modificado em 12/12/2017 07:12

Na última semana, o Governo anunciou que para 2018, o salário mínimo passará dos onze mil para os quinze mil escudos. Uma medida que vai entrar num ano que se perspectiva de dificuldades isto, pelo mau ano agrícola que se verifica no país. O salário mínimo passou a vigorar no país em 2013 e, até hoje, não tinha sofrido aumento. O aumento é bem-vindo por parte das pessoas pois nestes tempos, como afirmam alguns entrevistados, qualquer aumento é bem recebido, isto quando o salário não é muito.

O aumento é visto como boa medida, mas a expectativa é que seja implementada. Na primeira experiência houve problemas na implementação com os sindicatos a denunciarem algumas contra-ordenações. Com o aumento anunciado, o sentimento é que sempre se pode melhorar a proposta.

“De onze para quinze é bom. Isto porque para nós que não recebemos muito, qualquer aumento é bem-vindo e ainda mais com a situação como as coisas estão”, comenta Yuran Costa que sublinha que se o aumento dos preços é natural, também o deverá ser o aumento dos salários. “Acho que é uma boa medida, principalmente para as pessoas que recebem por volta de doze contos. Acho que vai ajudar. Mas claro que ainda pode ser muito melhor”, expressa-se na mesma linha Anderson Neves.

O sentimento em relação à proposta é que um aumento “é bom mas pode ser melhor”. Não é apenas este aspecto mas também o auspício que possa haver uma fiscalização para que todos possam cumprir, porque nem todos vão querer pagar”, como afirma. Isto, como avança Telma Santos, que recorda que na primeira vez muitas lojas não quiseram pagar.

O aumento do salário para fazer face à inflação dos produtos, também foi reclamado pelo Secretário Permanente dos Trabalhadores da Função Pública, em entrevista ao NN, de quinze para dezassete mil escudos.

 

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.