Abraão Vicente “  há uma deficiente fiscalização no sector dos jornais online  “

12/12/2017 07:07 - Modificado em 12/12/2017 07:07

O ministro da Cultura, Abraão Vicente, disse hoje no Tarrafal de Santiago, que 2017 não foi um ano fácil para a comunicação social cabo-verdiana. E cita com exemplos  a situação de falência do jornal  ASemana. Refere que outro embaraço na comunicação social  foi “a  grande onda de jornais online que invadiram o país, sendo que a maior parte deles não está legalizada ainda”. Para 2018    vai se evidenciar esforços para que a Autoridade Reguladora de Comunicação Social (ARC) tenha todas as condições para executar a tarefa de fiscalização.

Apesar de reconhecer que o sector carece ainda de mais investimentos, o ministro fez questão de sublinhar, que da parte do Governo foi cumprida não só com os incentivos, mas também no aumento do mesmo de 13 para 15 mil contos.

“No próximo ano, creio que vai ser um ano com maior disponibilidade financeira. Vamos negociar os investimentos no sector público da Rádio e Televisão Cabo-verdiana (RTC), e há disponibilidade do Ministério das Finanças em financiar alguns estúdios, mas também a implementação e regulamentação de alguns sectores da Rádio e da Televisão”, perspectivou.

Também desenhou ainda para 2018, um “cenário bem melhor” para os canais privados, tendo em conta, segundo disse, que com os novos pacotes avançados pelo Governo para o empreendedorismo, os mesmos vão conseguir fazer novos investimentos no sentido de serem nacionais e de aproveitarem melhor o mercado.

 

Fonte : Inforpress

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.