Dois pescadores estão desaparecidos há quatro dias no mar de Tarrafal

7/12/2017 01:28 - Modificado em 7/12/2017 01:28

Os pescadores, Mário Correia Semedo de 60 anos e Toku de 34 anos, pai e filho, respectivamente, naturais de Tarrafal de Santiago, estão desaparecidos no mar desde a madrugada desta segunda-feira, 02.

Conforme indicou em declarações à comunicação social, o pescador Severino Dias Fernandes “Nha Guida” que avistou Mário e o seu filho pela última vez no alto mar, os mesmos supostamente terão sido levados pelas correntes marítimas.

Severino Fernandes “Nha Guida” estriba-se na sua tese para argumentar que, o facto de já se terem passado três dias, e por serem “conhecedores do mar”, principalmente o pai, era tempo suficiente de voltarem para casa, se o problema fosse, por exemplo uma avaria no motor, isso porque estavam munidos de remos na embarcação.

Nha Guida indicou ainda, que outros pescadores que pescavam nessa ocasião numa zona denominada de “Meio do Mundo”, onde o mar se encontrava “agitado”, confirmam que nesse dia e com aquele tempo não havia hipóteses de pessoas conseguirem nadarem em caso de algum acidente, pelo que a esperança de estarem com vida “é quase nula”.

As buscas pelos dois pescadores continuam até o momento por parte dos pescadores locais, que pedem instalação urgente de Agência Marítima no município, que segundo dizem facilitaria nas buscas.

Por enquanto, o clima local é de muita tristeza e consternação no seio dos familiares, amigos e a população no geral.

Apesar das reclamações por parte de populares de que as buscas não esta sendo levadas a cabo pelas autoridades, Maria Virgínia Semedo, filha e irmã dos desaparecidos garante que a capitania está a patrulhar o mar à busca dos parentes.

 

Inforpress

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.