Governo volta a sua atenção para as classes mais vulneráveis

27/11/2017 03:07 - Modificado em 27/11/2017 12:54

O Governo aprovou o Plano Nacional de Cuidados, medida que é vista como o novo pilar da Protecção Social em Cabo Verde e que será implementada a partir de 2018. Como explica o Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, é um programa que visa criar uma rede nacional de cuidados com creches para crianças, creches domiciliárias, particularmente no meio rural, e subsídios às creches para as famílias mais carenciadas.

“São medidas que visam e promovem um sistema de cuidados para crianças, idosos e pessoas com deficiência em situação de dependência, especialmente aquelas que pertencem a famílias mais vulneráveis”, explicou.

Espera-se, com o plano, que pessoas mais vulneráveis e dependentes sejam tratadas e auxiliadas no acesso à alimentação, vestuário e no reforço da própria autonomia. Para o ministro, esta medida reforça o “direito de cuidados às pessoas com deficiências e que têm necessidades especiais de cuidados e visa reduzir a pobreza e promover a equidade do género, permitindo um desenvolvimento social integral”.

O programa aplica-se, na sua essência, a todas as crianças dos 0 aos 12 anos, idosos e pessoas com deficiência, incluindo também cuidadores e cuidadoras dessas classes.

Ainda não se sabe o custo do programa mas, segundo avança Freire, o Governo está a preparar o estudo juntamente com o Banco Mundial. Com esta medida, pretende-se também incentivar iniciativas privadas para desenvolver o Programa de Cuidados, para além de desenvolver programas de formação profissional orientados para as cuidadoras e cuidadores, no sentido de dar maior consistência e possibilidade de rendimento às pessoas que necessitam de cuidados.

 

  1. Clara Medina

    A propósito da pobreza em Cabo Verde a opinião dum dos funcionários do BMI, senhor Rob Swinkles a propósito dos desvios conscientes e premeditados das ajudas dadas a Cabo Verde para o combate à pobreza.

    «Depois de tantos anos a gastar dinheiro em programas sociais não sabemos quão efetivos foram porque há muito poucos dados», disse Rob Swinkles.
    Mister Rob Swinkles a sua pergunta retórica como deve ter observado bem assim como outros observadores responsáveis das organizações internacionais devem ter constatado não é tão difícil de responder.
    Como é que se explica e se justifica a riqueza exibida pornograficamente pelos políticos e pelas elites gravitando à volta do poder?
    Perguntarei donde é que vieram todas essas mansões, todos esses carrões, todo esse luxo que muitos orgulhosamente e sem o mínimo de escrúpulo ostentam? A maioria não herdou pois os pais tinham muito pouco para deixar e a maioria não trabalhou tão arduamente para justificar tal acumulação de riqueza num tão curto espaço de tempo.
    Mister Swinkles não é por acaso que não há dados sobre o encaminhamento dessas ajudas sociais.
    E também não é por acaso que não vão haver dados no futuro pois a ganância e o egoísmo incontrolável apoderou-se de nós. O fosso entre os que “têm muito e os que nada tem vai sem dúvida aumentar cada vez mais”. E o pior ainda é que o número de cleptocratas, aumenta cada dia mais na razão inversa dessas ajudas internacionais.
    Na verdade o crime em Cabo Verde compensa e em especial para os de colarinho branco que estão confiantes na sua impunidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.