Santo Antão: Chegada  de grande quantidade de açúcar preocupa produtores de grogue

15/11/2017 00:19 - Modificado em 15/11/2017 00:20

A safra da cana sacarina e, consequentemente, a reabertura dos alambiques em Santo Antão está próxima e a quantidade de açúcar e de outros produtos que têm chegado à ilha tem preocupado os produtores de grogue.

O início da próxima safra é já para o mês de Janeiro de 2018 e a grande movimentação de quantidades anormais de açúcar refinado, requisitada por supostos agricultores que poderão vir a utilizar este e outros produtos na produção do grogue, leva a muita preocupação no seio dos outros produtores que apelam por uma fiscalização no sentido de não permitir o uso do açúcar e de outros produtos nocivos à saúde na produção.

Um dos motivos para esta preocupação centra-se no facto que durante o processo da selagem dos alambiques, que aconteceu no mês de Agosto, uma medida aprovada na lei para aumentar a preservação e valorização do grogue da cana sacarina, as análises efectuadas pela Inspecção-Geral das Actividades Económicas detectaram uma “elevada concentração de chumbo, metanol, mas também algumas substâncias cancerígenas que contribuíram para a «má qualidade» da aguardente em Cabo Verde”.

Graves problemas de saúde aos consumidores como o cancro do esófago e outros, tem levado as autoridades sanitárias da ilha a alertar os produtores para a utilização dessas substâncias no fabrico do grogue. Por isso, um dos problemas que a entidade que gere a produção do grogue na ilha quer evitar é a utilização do açúcar refinado e de outros produtos proibidos na produção da aguardente, problemas estes que ao longo dos anos se podem constatar em muitos dos trapiches da ilha.

 

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.