URDI 2017 – “Não se trata apenas de uma feira de artesanato para a venda de peças”

7/11/2017 01:13 - Modificado em 9/11/2017 11:16

De acordo com o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, a Feira do Artesanato e Design de Cabo Verde (CNAD) e a URDI são eventos do Ministério que dirige e da política cultural do Governo para a projecção do país a nível internacional através do artesanato nas suas mais variadas vertentes, e do design.

O mesmo adiantou ainda que este é “o momento do ano” para se apresentar a concretização da política do Governo para o sector do artesanato.

A URDI decorre nos dias 30 de Novembro, 01, 02 e 03 de Dezembro, no Mindelo, com o objectivo de materializar a ideia do CNAD como centro de projecção nacional do pensamento, da investigação e do design a nível nacional.

Abraão Vicente quer, com isso, tornar o Mindelo no centro da inovação e das indústrias criativas. Em 2018, a cidade vai acolher “dois grandes eventos”, o Morabeza – Festa do Livro e o URDI, e em 2019 prevê-se a realização de uma “grande conferência internacional” com o envolvimento de universidades estrangeiras.

O titular da pasta da cultura e indústrias criativas acredita que até finais de 2018 esteja aprovado o estatuto do CNAD, garantia dada pelo facto do Orçamento do Estado aprovado no Conselho de Ministros trazer “uma maior independência, autonomia e recursos financeiros”, segundo aInforpress.

Orçado em cerca de sete mil contos, a URDI pretende ser uma plataforma, o destaque do ano para se apresentar a concretização da política do Governo para o sector do artesanato.

O cartaz cultural deste ano da URDI, que terá uma extensão na Praça Nova, funcionando como uma galeria e pólo central das actividades, será dedicado ao tema “Design” e deve reunir mais de uma centena de criadores nacionais e internacionais.

EC

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.