O problema da Frescomar é a ligação do esgoto doméstico: Rodrigo Rendall

18/10/2017 14:16 - Modificado em 18/10/2017 14:16

Em reacção a manifestação da Frescomar que suspendeu os trabalhos esta manha, 18 de Outubro, para se concentrarem em frente a Câmara Municipal de São Vicente devido ao corte de esgoto, a edilidade afirma que o problema atual da Frescomar é a ligação das águas residuais domésticas, que foi ligada directamente a ETAR e que a Frescomar não quer.

De acordo com Rodrigo Rendall, a CMSV em concertação com a Frescomar, que abraçou o projecto de ligação das águas residuais indústriais de esgoto directamente a ETAR da Ribeira de Vinha, o que significa que as águas residuais indústriais, agora não passam pela estação de bombagem de Lazareto. “Um problema do mau cheiro no Lazareto, que tem afectado a população e que há já algum tempo que estamos a tentar resolver este problema”, afirma este vereador, realçando no entanto que as “coisas estão a funcionar bem em termos das águas residuais indústriais”.

Sendo que o problema da Frescomar, segundo Rendall é a ligação do esgoto domestico. “Procedemos ao corte da ligação a estação do Lazareto também das águas residuais domésticas visando a sua ligação directamente a ETAR. Só que a Frescomar por razões que já apontaram não quer este tipo de ligação directamente a ETAR”, explica.

No entanto assegura que a edilidade considera que a ligação doméstica, também deve ser canalizada de acordo com o projecto que foi implementado e que acabou com o mau cheiro no Lazareto e, que diariamente recebiam muitas criticas da população.

Sobre a questão das águas estarem a voltar para a empresa, Rendall assegura que não está ciente disso, mas explica que a fiscalização apenas procedeu ao corte porque a empresa estava a mexer na rede de esgotos, sem a autorização e consentimento da edilidade, sabendo que só estão autorizados a CMSV e entidades autorizados por ela a mexer na rede de esgotos.

Entretanto assegura que “vamos ultrapassar isso, mas vamos manter firmes da nossa decisão. Temos que salvaguardar o bem-estar das pessoas que vivem no Lazareto”.

Reitera a sua posição afirmando que o processo águas residuais domésticas deverá ser directamente para a ETAR sem passar para estação de bombagem de Lazareto.

  1. Boise Soncente

    Mas un cagada dess CMSV… ainda ech t bem funda ess ilha…. un cre oia manera q SV t bem atraí investidores se nem un rede de esgoto a CMSV t consegi geri… onde ja se viu faze un esgoto domestico na un zona industrial???? E se tivesse mais industrias la ligod era manera???? Ainda bem ou não q la ca tem…

  2. Cidadão

    Já agora pergunto: quando o projecto da FRESCOMAR foi apresentado, para aprovação, não foi levado em conta o tipo de esgoto necessário e o estudo de impacto ambiental?
    A FRESCOMAR vai fazer chantagem todas as vezes que lhe der na gana, por causa dos postos de trabalho que oferece.

  3. AC

    AC

    O PROBLEMA É QUE OS RESPONSÁVEIS DA FRESCOMAR SÃO UNS PREVERICADORES E DEVIAM SER MULTADOS PELA CMSV, PELA TENTATVA DE LIGAÇÃO CLANDESTINA.

    AINDA QUEREM TER RAZÃO, ARRASTANDO COM ELES OS TRABALHADORES INOCENTES QUE TANTO SÃO EXPLORADOS POR ELES.

    PARA QUEM NÃO SABE, A FRESCOMAR JÁ NOS HABITUOU COM ACÇÕES FRAUDULENTAS, FUGINDO DE PAGAMENTO DO SEU CONSUMO REAL, RECORRENDO À LIGAÇÕES CLANDESTINAS DE ÁGUA E, MAIS TARDE, DE ENERGIA QUE NESTE ÚLTIMO CASO, EXTURQUIA DOS COFRES DA ELECTRA CERCA DE 8.000.000$00 MENSAIS.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.