Aristides da Luz: “Se não temos um ambiente de trabalho saudável, isso pode acarretar qualquer tipo de problema mental”

10/10/2017 12:30 - Modificado em 10/10/2017 13:02
| Comentários fechados em Aristides da Luz: “Se não temos um ambiente de trabalho saudável, isso pode acarretar qualquer tipo de problema mental”

Afirmações feitas à margem de uma entrevista sobre o tema “A Saúde Mental no Local de Trabalho”, escolhido pela OMS, referente ao Dia Mundial da Saúde Mental, que assinala-se hoje, 10 de Outubro.

O tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde leva-nos a reflectir que para se ter uma boa saúde mental é necessário também ter-se um bom ambiente de trabalho, e quando se fala de um bom ambiente de trabalho, estamos a referir a todos os aspectos, desde a parte remuneratória, passando pela segurança do trabalho e segurança que se sente no local, ao ambiente físico, psicológico, à conivência no ambiente de trabalho entre os profissionais, à relação com as chefias e a própria entidade patronal. Tudo isso são aspectos que levam a desembocar numa boa saúde mental. Quem o diz é o médico/psiquiatra do HBS Aristides da Luz, ele que também é Diretor do Programa Nacional de Saúde Mental.

Em entrevista ao Noticias do Norte, este profissional da área da saúde mental, afirma que a escolha deste tema é pertinente e de suma importância, quando normalmente esta é uma das causas de afastamento registadas pelas empresas. Conforme explica, “em Cabo Verde uma pessoa que apresenta qualquer tipo de transtorno mental, a primeira preocupação da entidade laboral é que essa pessoa seja enviada para casa, como indicação”, no entanto,  defende que há casos em que esta é a solução.

Para trabalhar sobre o tema da “saúde mental no local de trabalho”, Aristides da Luz defende que é importante a elaboração de estudos, seja por parte do Ministério da Saúde seja das universidades, para ouvirem as pessoas no ambiente de trabalho, as dificuldades, as expectativas, as relações profissionais, a segurança, a questão remuneratória, entre outros e depois atuarem a partir daí. Realça que muitos desses aspectos estão ausentes no ambiente de trabalho. “São pequenas coisas que se não forem resolvidas podem criar outros problemas” e isso pode desembocar numa doença mental, como a ansiedade e a depressão. “Por isso, é aconselhável abordar o tema da saúde mental nos locais de trabalho”, frisa este profissional.

“De uma forma geral se não temos um ambiente de trabalho saudável, isso pode acarretar qualquer tipo de problema mental, pelo que é fundamental termos isso presente. Acho que é um tema muito pertinente, foi muito bom a OMS ter escolhido este tema”, assevera.

Abordar este tema, segundo este responsável pelo programa de saúde mental do país, é uma forma de levar os políticos e as empresas a refletirem sobre as condições saudáveis que devem existir no ambiente de trabalho para que os trabalhadores tenham uma boa saúde mental. “E quando falamos das condições, estamos a referir a todos, porque se existe um ambiente de trabalho que não é saudável, isso pode levar a qualquer problema psicológico e, consequentemente, temos um problema, porque este já não fica apenas no trabalho, vai ser levado para casa, para o convívio social”, explica Aristides da Luz que garante que a política de saúde mental em Cabo Verde está num nível de desenvolvimento que vai de acordo com as capacidades do país.

Acrescenta, entretanto, que “ter uma boa saúde mental” não depende somente do Ministério da Saúde, do Programa Nacional de Saúde Mental, mas sim de todos. Falando do tema ambiente de trabalho, isso leva-nos, de facto, a reflectir que uma boa saúde mental depende de vários factores e muitos deles são factores que não dependem de uma boa politica de saúde mental. Política do trabalho, da saúde, do Ministério do trabalho, sindicatos e empresas como um todo.

Como Director do Programa de Saúde Mental em Cabo Verde, diz que o programa tem tentado mudar e tem conseguido, embora muito lentamente e, neste momento, uma das grandes prioridades do programa prende-se com a inclusão da saúde mental na atenção primária, ou seja, todos os centros de saúde têm a função de acompanharem todos os problemas de saúde mental que possam existir na comunidade. “A primeira resposta
deve surgir na comunidade”.

O Dia Mundial da Saúde Mental é assinala-se no dia 10 de Outubro desde 1992. A intenção da comemoração é colocar temas de saúde mental nas agendas dos governos, para além de centrar a atenção pública na saúde mental global, como uma causa comum a todos os povos, para além dos limites nacionais, culturais, políticos ou socioeconómicos.

Defende-se a valorização da Saúde Mental, criando uma paridade entre esta e a saúde física nas prioridades das opções governativas dos Estados. Alerta-se também para as necessidades específicas das pessoas com doenças mentais. Este ano, 2017,“A Saúde Mental no Local de Trabalho” foi o tema escolhido pela Organização Mundial de Saúde.

Elvis Carvalho

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.