Professores e encarregados de educação prometem manifestação se os livros não forem substituídos

4/10/2017 01:16 - Modificado em 4/10/2017 01:16

Erros graves nos manuais escolares continuam a gerar polémica. Professores, pais e encarregados de educação consideram-nos como “erros gravíssimos e inaceitáveis”, por isso, prometem manifestação caso os livros não forem substituídos.

Os erros nos manuais escolares iniciam pela capa do livro de “Matimática”, passando por erros de operações de gramática, exercícios em Inglês, exemplos com resultados errados, troca de identificação de figuras, meses com número de dias errado e vários outros erros gravíssimos.

Esta situação que já se tornou notícia a nível internacional, tem surtido clamor e o barulho promete intensificar-se. A comunidade educativa acredita que os alunos não podem ser induzidos a erros desta natureza, portanto, exigem a substituição urgente dos manuais, caso contrário, não descartam a possibilidade de uma gigantesca manifestação contra o que consideram de “vergonhosa irresponsabilidade” por parte do Ministério da Educação.

Pais e encarregados de educação convidam a Directora Nacional da Educação, Adriana Mendonça, a demitir-se do cargo, sendo ela  a responsável  directa e revisora dos manuais.

A Directora-Geral da Educação  na berlinda

Multiplicam-se os exemplos de incorrecções em diferentes manuais. Rumores e contestação contra os erros dos novos manuais escolares, motivo de conversa em todas as ruas e nas redes sociais.

A situação é verdadeiramente preocupante. Pais e encarregados de educação abordados pelo NN exigem a responsabilização do Governo pedindo a demissão da Directora-Geral da Educação.

“É inadmissível a quantidade de erros encontrados nos novos manuais. Isto retrata tamanha incompetência”, critica Helena Furtado, mãe e encarregada de educação que se mostra indignada.

Celina Mendes, revela o próprio descontentamento e revolta. “O cenário é preocupante, se a directora não se demitir do cargo, está a dar um sinal de irresponsabilidade e incompetência”.

“Não é possível que o nosso país não tenha profissionais competentes para produzir ou elaborar os manuais”, disse Filinto Barros que vai na mesma linha, pedindo as demissões da Directora-Geral da Educação, Adriana Mendonça.

  1. JORGE fortes

    E para quem comprou os manuais (lógico que tratando de um manual impresso não tem que verificar se tem erros no momento da compra..deve-se verificar o troco, isso sim) deve exigir a quantia de volta.
    Esforça-se para dar educação aos nossos filhos..não se pode gastar dinheiro com coisas “le-se livros ” inúteis.

  2. Senhores , ninguém se demite porque quem tem a responsabilidade da feitura desses manuais é o Ulisses Correia e Silva que os fez através duma cunhada que vive na Suécia e é casada com um professor universitário da língua portuguesa e da história geral da áfrica antiga na Universidade de Upsala, Suécia. A equipa liderada pelo concunhado do Ulisses fez todo esse trabalho como sendo um estudo solicitado por esssa Universidade que pretende conhecer melhor a educação, o ensino as formas de transmissão dos conhecimentos na África moderna, pós colonial. Por isso é que os derigentes do menistério da iducação não podem ser dimitidos. A houver dimissão o dimitido deve ser o premeiro Menistro Ulessis Correia e Selva. Pronto, falei. Agora o que me parece é que os derigentes da iducação viram as gralhas e não fizeram nada e em protesto e conspiração deixaram que o Ulessis fosse tramado por ter chamado a sua cunhada e concunhado para fazerem os manuais em vez da prata da casa, que está mais para estanho do que prata.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.