Movimento Cívico Sokols 2017 promove “arruada” em Mindelo

27/09/2017 16:54 - Modificado em 27/09/2017 16:54

 

Com a sede na cidade do Mindelo, o Movimento Cívico Sokols 2017 – que não pretende transformar-se em partido político – promoveu uma “arruada”, em contacto com a população, com o objetivo de uma vez mais esclarecer o que é Sokols, os seus objetivos e ouvir as ansiedades da população.

Em conversa com o líder do movimento cívico, depois da intervenção junto da população, que começou na Praça Dom Luís, passando pelos Mercados de peixe e Praça Estrela e terminado no Mercado Municipal, este afirma que esta primeira “arruada” ultrapassou as expectativas do grupo que defende um Cabo Verde, justo e mais descentralizado, tendo como os cidadão como foco principal da governação. “Cidadãos devem ter mais voz na governação nacional e local, exigir mais transparência dos governos que devem auscultar população e saber o que querem”, atira Salvador Mascarenhas

Este critica ainda o plano de construção de quatro vias de estrada para São Pedro. “Não me parece que haja movimentação que justifique tal construção”, enquanto não existe uma estrada para Ribeira de Vinha, diz.

Durante a visita de intervenção por estes locais, o grupo diz ter constatado que São Vicente está a morrer. Constatação feita nos locais depois de ter auscultado as pessoas que vendem nos locais e reclamarem da pouca movimentação ou da sua inexistência.

“Centralização está a matar a periferia de Cabo Verde, que tem um grande potencial no desenvolvimento nacional”, uma situação “doentia” na ótica do movimento cívico que, por ocasião do 05 de Julho deste ano, promoveu uma grande manifestação contra aquilo que considerou ser «a política centralista da Capital»

Critica ainda o atual governo que em dois anos “ainda não deu um passo adequado”. Realçando o facto de que os sucessivos governos tem gerido Cabo Verde mal e a seus favores e de sua clientela política e não a aspirações do povo destas ilhas”.

Com o pontapé de saída esta quarta-feira, o Movimento Cívico Sokols 2017 garante continuar com este tipo de intervenção, bem como divulgações, debates, entre outros.

O Movimento Sokols 2017, devidamente orientado, poderá ser um instrumento social muito importante na consciencialização da opinião pública, para se exigir dos poderes públicos, políticas corretas do desenvolvimento do País. Para isso, deverá fazer um levantamento da situação real do país para traçar um plano de ação, estabelecendo prioridades, afirma Carlos Duarte que tem acompanhado os passos do Sokols.

De relembrar que em início de Setembro na estrada aeroporto-cidade um  ajuntamento de elementos do Movimento Sokols ostentando cartazes recebeu a comitiva do primeiro-ministro que chegava em Mindelo.

  1. Maurino C.B Delgado

    Não é só a centralização que está a matar São Vicente. Precisamos de um Poder Local competente. É preciso salvar o edifício do Ex- Consulado Inglês!
    Por iniciativa da Câmara Municipal, dentro de poucos dias, mais um património histórico em São Vicente vai ser destruído, o edifício onde, em 1870 já funcionava o consulado inglês.
    Pelo seu significado histórico é dos mais simbólicos na história de São Vicente.
    No terreno vai ser construído um hotel. O lugar perde o valor histórico, deixa de ser público e passa a ser privado, deixa de ser um ponto de atração turística, perde a força identitária do povo cabo-verdiano.
    Acredito que o Movimento Sokol vai empenhar-se na salvaguarda desse património que, em todos os aspetos, é muito importante para o desenvolvimento de São Vicente.

  2. Só Basofaria, pessoal te graça d’parcê e mas nada.

  3. Oh. Maskarenhas. Deixe de dizer bolinhas. Da via de quatro faixas que vai para São Pedro podem ser retiradas rotundas e desvios que canalizem o trafego para a Ribeira de Vinha, para a Ribeira de Julião, para o Vale e baía de Flamengos e para o Morro Branco. Sendo asfaltado e como via mais rápida se conseguirá tudo isso. O Gustim está com todo o meio apoio nessa Via. E mais o Gustim deve fazer a via afastando-a da orla do mar da Cova de Inglesa, do Lazaretto para lá dos oitenta metros da quebra do mar, para no futuro poder fazer zonas balneares e de turismo ao longo da via do Lazaretto a Santa Filomena. O Sokols deve é apoiar iniciativas como esta do Gustim, pois assim até a praia dos Solkols, na Matiota irá ser de novo entregue aos jovens mindelenses. Ainda é preciso retirar as construções da Shell da praia de bote , da Enacol e da Shell do Lazaretto, mandando-as para a baia dos flamengos ou da palha carga.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.