Primeiro-ministro quer mais do que remessas dos imigrantes

26/09/2017 01:09 - Modificado em 26/09/2017 01:09
| Comentários fechados em Primeiro-ministro quer mais do que remessas dos imigrantes

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e sua comitiva continuam sua estadia em solo norte-americano, e desta visita com visita a comunidade cabo-verdiana nos Estados Unidos. Oportunidades que Correia e Silva teve de reafirmar os compromissos com as comunidades emigradas, como forma de desenvolver as relações externas do país.

Segundo declarações reproduzidos no site oficial do governo Correia e Silva avança que “é importante que Cabo Verde se distinga por ser de fácil relacionamento com o mundo e como aquele que cria relações de confiança com os outros. Esse é nosso maior ativo que a nossa diáspora pode ajudar a fazer a diferença”.

E o primeiro-ministro “lá onde temos comunidade, temos presença de Cabo Verde”, sendo esta uma mais valia que deve ser explorada.

As remessas de imigrantes são uma grande importância, como sublinha, mas precisa de mais: “precisamos de remessas de conhecimento, de capacitação e de know how da nossa diáspora”, como argumenta. “Os compromissos do Governo são esses, criar ambientes favoráveis, para que possamos ver os nossos cabo-verdianos a participar, empreender, organizarem-se e a fazer as coisas acontecerem. Porque a nossa missão é ao serviço de Cabo Verde.” assegurou. E demostra confiança “no trabalho dos homens e mulheres” para alcançar o desenvolvimento.

E nesta perspectiva o governo quer facilitar atividade profissional dos emigrantes em Cabo Verde. O governo, como avança, está a preparar um Programa que permite aos cabo-verdianos e descendentes de cabo-verdianos, que tenham uma profissão na qual Cabo Verde tem necessidade, exercer a mesma atividade em Cabo Verde, sem qualquer constrangimento.

“Teremos, eventualmente, que fazer alguma alteração na lei, no sentido de facilitar essa atividade. Acreditamos conseguir isso através dos nossos cabo-verdianos muito bem integrados nos Estados Unidos, à semelhança do que o Israel conseguiu, durante muitos anos”, como sintetiza.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.