PAICV com dúvidas sobre o novo ano letivo

18/09/2017 16:09 - Modificado em 18/09/2017 16:21

Dia 18 de Setembro marca o início do novo ano escolar. O PAICV através do deputado nacional, Carlos Delgado, demostra preocupação “com alguns sinais que vem gerando alguma incerteza e insegurança ao próprio sistema”.

E esta preocupação como sublinha Delgado advém do facto de se  verificar “uma rutura completa na gestão educativa com a criação de 77 agrupamentos escolares a nível do país”, com um modelo de gestão administrativa e pedagógica complexo e pesado. “Crianças que estudavam na sua zona de residência agora terem de deslocar para poderem ter acesso ao saber”.

Para o PAICV o governo elaborou um novo plano curricular sem a devida socialização com a comunidade educativa. E para o PAICV “esses novos planos curriculares são pesados porque foram introduzidas mais disciplinas, mantendo os mesmos espaços físicos”. E ainda os manuais que Delgado acrescenta que não foram feitos qualquer estudo ou socialização prévia.

“Já estamos no dia de abertura do novo ano letivo e os cabo-verdianos querem saber se as condições estão criadas para acolher os cerca de 130 mil alunos, e os cerca de vinte por cento das crianças que se encontram fora do pré-escolar”, como questiona Carlos Delgado.

E sobre o insucesso escolar, o PAICV afirma que o governo prometeu criar um programa para dar combate ao insucesso, mas o país tem registrado o inverso.

A nível do ensino superior “o desânimo é total”, como afiança Carlos Delgado. E acrescenta que “não existe uma orientação clara sobre o que pensa o governo sobre o sistema de ensino superior no país, outrora em vias de consolidação”. Universidades com problemas financeiros graves, e bolsas de estudo a diminuir e as famílias com menos recursos para financiar o estudo dos filhos é o panorama que fornece sobre este aspeto.

E questiona ao governo sobre as garantias logísticas, financeiras e outras que o governo dá ao pais que vão deixar os filhos menores assistirem aulas fora do ambiente de comunitário e social. Este aspeto, aliás, é amplamente criticado pelo PAICV. Como Considera Delgado vai contra a carta da educação da Unesco que explica que os alunos devem assistir as aulas dentro do seu espaço comunitário.

O PAICV, também, questiona os programas para ajudar as famílias carenciadas, quando o governo vai assumir o pré-escolar, qual o numero de bolsas de estudo para este ano letivo.

  1. ATENTO

    Havia necessidade de Freire deslocar a São Vicente para abrir o Ano Lectivo? Enquanto o “povinho” passa mal, os governantes gastam dinheiro em viagens desnecessárias. Caros Governantes, os nossos recursos devem ser bem geridos para que todos possam viver uma vida condígna. É por isso que o cabo-verdianos votaram mudança. Recusamos o PAICV “esbanjador e protector” dos seus militantes e apostamos no MPD ” oportunista e extravagante”. ESTAMOS COM ESSES DOIS MAIORES PARTIDOS.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.