Moradora em Ribeirinha transforma sua casa numa prisão

18/10/2012 01:12 - Modificado em 18/10/2012 01:12

Uma moradora na Ribeirinha teve que colocar grades de ferro para garantir a segurança da sua residência. Segundo Ana Soares, ao terceiro assalto não encontrou outra solução, a não ser transformar o seu lar numa prisão. Por outro lado diz que já não dorme sossegada, porque qualquer barulho é sinal de alarme.

 

Ana Soares dedica-se a venda de verduras que compra na ilha de Santo Antão para revender às pessoas em São Vicente. De acordo com esta rabidante, a vida que levava fazia com que ficasse afastada do seu lar por alguns dias. Isto porque tinha que percorrer algumas localidades na ilha de Santo Antão para conseguir produtos de boa qualidade.

Mas a vida de Ana Soares mudou , na semana passada, quando viu a sua casa ser assaltada pela terceira vez. Segundo Soares, os gatunos levaram parte do recheio da sua residência e alguns produtos que tinha no stock. Por isso com receio de um novo ataque optou por gradear todos os acessos ao interior. Mas diz desconfiar que os assaltantes sejam pessoas daquela redondeza que conheciam a sua rotina

Ana Soares afirma que “sempre que ia a Santo Antão levava comigo a minha filha de quatro anos, pelo que a minha casa ficava sem ninguém. Invés de pedir os produtos por encomenda preferia ir comprá-los de forma a escolher produtos qualidade. Mas depois de ser assaltada pela terceira vez mudei o meu estilo de comércio, porque não vale a pena sacrificar-me para ver um ladrão levar os meus pertences”.

 

Mudança

Esta moradora diz que a paz que rodeava o bairro foi levada pela criminalidade, que actualmente faz parte da rotina dos moradores. A vítima diz que abdicou das viagens semanais para fazer compras em Santo Antão, pelo que agora faz a encomenda dos produtos e depois vai busca-los ao cais.

Questionada sobre os produtos subtraídos da sua residência neste terceiro ataque, Ana Soares afirma que “levaram uma televisão, um DVD, vários electrodomésticos, aparelhagem de som, arca frigorífica, roupas e outros objectos de uso pessoal e cerca de 20kg de hortaliças. Por isso coloquei grades de ferro nas janelas, duas fechaduras de segurança na porta principal e a noite faço de guarda-nocturno, porque quando ouço qualquer ruído levanto-me para passar uma revista a residência”.

 

  1. joao Pina

    Era o que devia fazer há muito tempo.

  2. Amaro

    Nao e so a casa da Ana e 😯 porcento das casas de S Vicente e 98 porcento das pessoas presas dentro das suas casas

  3. fifi

    uma afronta..a BAC DEVIA FAZER UMA RONDA TODOS OS DIAS A RESIDÊNCIA DESTA CIDADÃ.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.