Salvador Mascarenhas : ” Ulises enganou- nos , tratou- nos como  crianças”  

6/09/2017 07:07 - Modificado em 6/09/2017 07:07

Salvador Mascarenhas, que lidera o movimento Sokols, explicou que o objetivo da ação foi demonstrar o “descontentamento” pelo não cumprimento da promessa de regionalização feita pelo primeiro-ministro.

“Enganou-nos e voltou atrás, tratando-nos como crianças e não podemos continuar a aceitar esse tipo de coisas, estamos a lutar pela descentralização já e pela regionalização planeada e com data, pois é vida das pessoas que está em causa”, disse, citado pela Inforpress.

“Esperávamos que descesse do carro para falar connosco, mas reparei que ficou completamente espantado, que não estava à espera”, acrescentou.

“Se o primeiro-ministro quiser dar o exemplo e ser um primeiro-ministro que entre para a História de Cabo Verde, que descentralize e regionalize o país”, desafiou

A regionalização do país consta do programa eleitoral e de governo do Movimento para a Democracia (MpD) e o primeiro-ministro anunciou as linhas principais de projeto de regionalização, adiantando que o processo avançaria até final deste ano.

O MpD, que Governa em Cabo Verde desde abril de 2016 precisa dos votos do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para fazer passar a lei no parlamento.

O movimento Sokols promoveu a 05 de julho, dia da Independência Nacional, uma manifestação que levou milhares de pessoas às ruas da cidade do Mindelo para demonstrar descontentamento pelo que consideram a concentração de investimentos na ilha de Santiago, a maior e mais populosa do país e onde se localiza a capital Praia.

  1. faltá é só um chupeta.

  2. PICANTE

    Movimento Sokols que fica na varanda a ver a banda passar porque PAICV nunca irá alinhar com o MPD nesta falcatrua doentia e malvada sobre a descentralização e regionalização em Cabo Verde, porque quer e sempre quiz o bem do povo caboverdiano e não chegar ao ponto de repetir a fome 1947. Ulisses disse alto e bom som que tinha todas as soluções possiveis e imaginárias para mudança de governo de PAICV e bobos foram nessa cantiga e votaram em masas no MPDORLAS; agora chupem limão e mordem a linguiça de tanto ódio. Manifestem e acabem com essa farsa e governo de vez por todas antes do termino do desmandato/desgoverno porra e puta que pariu gato.

  3. Lisandro Pina

    O problema é que o povo deu maioria absoluta so MPD, e deu um voto de confiança massivo ao Ulisses, que por várias vezes que evita o termo ” promessas de campanha” para falar ” compromissos com o povo de Cabo Verde.” O slogan de campanha ” Ulisses é soluçao” pelos vistos deixou muitos descontentes aqui nestas ilhas.
    Daí que o Salvador que ja tinha feito uma manifestação em 1986, consegue com um mero comentario no facebook ( e porque nao manifestar no dia 5 de Julho) fazer com que uma gota de água transbordasse o copo. A partir desse momento qualquer político terá que pensar 2 vezes antes de fazer promessas.sou apartidário e apoio movimentos cívicos. Aguardo a publicação do meu comentário.

  4. Julio Goto

    … senhor Djalo devias correr a fita ate chegar no periodo colonial ,virias a constactar que ate 1975 a migracao Soncet Prai nao existia.
    A politica de centralizacao e misceginacao entre sampadjudos e badio de forma selvagem dirigida pelo PAIGC desencadeo esse processo .
    Regionalizacao ou Independencia ….

  5. TXUBA

    Será que Cabo Verde terá os meios suficientes para aguentar os elevados custos da regionalização ? Reparemos que teríamos três poderes: central (Governo-Estado), Regional e Municipal. Nessa presente conjuntura (crise), é melhor adiarmos esta ideia afim de termos mais meios e condições ( preparação psicológica e cidadã que Cabo Verde é sempre UNO). Os CV devem entender que a capital de um país tem sempre privilégios em relação a outras cidades. Praia é a capital e devia, há muito tempo, ter o seu estatuto especial aprovado como manda a democracia em termos de aceitação popular bem grande.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.