Saída de Rui Alberto Leite da equipa Técnica : Uma questão de coerência ou razões que a própria razão desconhece?

25/08/2017 02:33 - Modificado em 25/08/2017 02:33
| Comentários fechados em Saída de Rui Alberto Leite da equipa Técnica : Uma questão de coerência ou razões que a própria razão desconhece?

A saída de Rui Alberto Leite da equipa técnica da Selecção Nacional pode estar relacionada com a sua ausência no jogo com o Uganda e com a confusão que se instalou na fase final do Campeonato, pela forma como o Mindelense foi tratado pela agora destituída Direcção da Federação Cabo-verdiana de Futebol.
O próprio Rui admite ser uma ausência justificada a sua não comparência no Cabo Verde – Uganda, disputado a 10 de Junho, devido à participação do Mindelense no Campeonato Nacional, numa altura em que a equipa da Rua da Praia ficou sem um dos treinadores e decidiu pedir dispensa do estágio de 15 dias em Portugal porque não queria abandonar o Mindelense.
Neste entretanto, a Selecção jogou e perdeu por 0-1. O NN apurou que, na altura, Rui Alberto Leite enviou uma mensagem a incentivar o grupo e com palavras de conforto sem, no entanto, nunca ter recebido qualquer resposta.
O caldo entornou quando saiu a última convocatória da Selecção para o jogo de apuramento para o mundial da Rússia frente à África do Sul, sem que tenha sido informado na qualidade de Técnico-adjunto.
Sabemos que logo após a convocatória, Rui terá ligado a Lúcio Antunes, na qualidade de Seleccionador Nacional que lhe terá dito que aquando da sua ausência, tinha feito a sua escolha.
Com um entendimento contrário, Rui Alberto Leite apercebeu-se que o seu lugar já não era na Selecção. E, como disse na comunicação social, por uma questão de coerência e por aquilo que tem acontecido com a Federação em relação ao Mindelense no imbróglio do Campeonato Nacional, achou por bem sair.
Rui Alberto Leite não esconde, entretanto que durante o tempo que passou na Selecção se sentiu  bem por se ter relacionado com profissionais e jogadores de qualidade. Mas também diz que se sentiu excluído, mas como vem dizendo, não ficou melindrado por isso.
Defende que não podemos estar a criar uma imagem no futebol, segundo a qual, se uma pessoa não concorda connosco é porque é nosso inimigo e tem comentado para os mais próximos que isso precisa de acabar no futebol em Cabo Verde.
Tem opinado que precisamos de melhorar no aspecto do relacionamento, porque nestas lides, ora ganho eu, ora ganhas tu, mesmo que não seja numa partida de futebol e por entender também que  quando fazemos as coisas com honestidade ganhamos sempre.

Carlos Flôr

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.