Consumidores  reclamam da qualidade da água que chega às suas torneiras

23/08/2017 05:56 - Modificado em 23/08/2017 05:56

Algumas pessoas no Maderalzinho e Chã de Alecrim têm registado problemas com a qualidade da água encanada nos últimos dias e duvidam que esta sirva para consumo. As reclamações dos consumidores referem-se ao facto de receberem água com características de aceitação para consumo humano alteradas, tal como alteração da cor, turbidez, gosto e odor.

De acordo com os moradores, a água tem saído das torneiras com uma cor bastante amarelada e, ao contrário do que acontece normalmente, quando há água na “rede”, basta deixar a torneira aberta por alguns minutos que a água corre normalmente. Esta é uma situação que já se regista há alguns dias.

De acordo com estes moradores, o líquido é impróprio para consumo e têm de recorrer à compra de água mineral para beber. “Já há alguns dias que percebi que a água está com uma cor estranha e com um gosto a ferrugem”, diz uma moradora.

Quem bebe a água pode estar sujeito à ocorrência de casos de diarreia devido à presença de agentes biológicos responsáveis por esse mal-estar.

A água usada para abastecimento público passa por um processo de tratamento e desinfecção mecânico e químico que elimina toda a poluição microbiológica, mas não há um controlo até à chegada nas casas, criticam.

“A água da torneira não é controlada para se ter a certeza que está sempre dentro dos padrões de qualidade”, critica esta dona de casa. A reclamação refere-se à água que vem directamente na “rede” sem antes chegar ao depósito da água.

Indignado com esta situação, um morador diz que fez chegar à ADECO uma reclamação sobre o assunto porque, “se reclamar com a Electra, não vão fazer nada”, conta.

Contactado sobre este assunto, a Associação de Defesa dos Consumidores posiciona-se afirmando que a qualidade da água é um assunto muito sério e deve-se fazer uma reclamação formal dirigindo-se à Delegacia de Saúde, uma vez que o Ministério da Saúde tem o dever de assegurar a qualidade da água. A população deve ter todas as informações sobre a qualidade da água.

Para o Presidente da ADECO, as pessoas têm direito a uma água transparente, sem gosto e têm direito, inclusive, a não pagarem por uma água sem qualidade.

“Sabemos que a Electra faz um controlo de qualidade dentro das próprias instalações, mas é insuficiente. Ela tem responsabilidade da água até ao contado, e mais, a Delegacia de Saúde deve controlar até o depósito de água, o que antigamente acontecia, com os serviços de saúde a controlarem a qualidade da água nas localidades”, atira António Lima.

  1. Electrices

    A pagina do Provedor de Mindelo já tinha avisado e foi até ameaçada com tribunal pela Electra que acha que a responsabilidade deles é controlar apenas a água que sai da electra.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.