Ribeira Grande: vereador do MpD desprofissionalizado por  favorecer munícipes afectos ao PAICV

16/08/2017 02:25 - Modificado em 16/08/2017 02:25

A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago aprovou, na última segunda-feira, uma deliberação que desprofissionaliza o vereador Apolinário das Neves. Isto, por sugestão do edil Manuel de Pina. E desde então, a confusão instalou-se na Ribeira Grande. Um caso inédito em que o próprio edil se posiciona contra um dos seus vereadores.

A bancada do MpD apoia o edil nesta situação uma vez que aprovou a desprofissionalização do deputado tendo, inclusive, feito circular uma carta onde aponta os motivos: “segundo informações recolhidas através dos munícipes”, como clamam os deputados do MPD, “há uma taxa de rejeição pendente” sobre Apolinário Neves. Além do mais, existe uma acusação de beneficiar terceiros em detrimento dos interesses da Câmara Municipal, “chegando a favorecer munícipes afectos ao PAICV”, que o partido considera como um comportamento desrespeitoso.

O cenário de ruptura já está criado e a bancada declara o vereador como “pessoa non grata em termos políticos e sem a confiança” da mesma.

A decisão imposta à bancada pelo edil é a de escolher entre a confiança da bancada ou o vereador. Para isso, não vai aprovar nenhum instrumento de gestão camarária, o que faria com que a edilidade ficasse estagnada, sem instrumentos de gestão, sendo que a questão “interna” afectaria os munícipes.

A proposta foi aprovada apenas com os votos do MpD.

Numa manifestação nas redes sociais, o vereador afirma que “a única razão para esse acto cobarde, truculento e vingativo é o facto de eu, enquanto vereador, ter tratado todos os munícipes em igualdade de circunstância, independentemente das suas opções políticas. O Presidente da Câmara Municipal, Manuel de Pina e os eleitos municipais do MpD queriam que eu discriminasse os munícipes. Não aceitei e nunca aceitarei perseguir ou discriminar seja quem for pelo simples facto de ter uma opção política distinta da minha, apesar de ter sido perseguido pessoalmente durante os últimos anos. Respeitarei sempre a liberdade e as opções de quem quer que seja e jamais decidirei a favor de quem quer que seja por ser do MpD ou do PAICV. Não o faço e nunca o farei.”

Um clima tenso num município histórico do país, que os líderes nacionais estão a tentar sanar, isto depois dos factos terem vindo a público. O pedido de Neves: “Como repetidamente diz o Presidente do MpD, Ulisses Correia e Silva, temos de ROMPER com esta forma de pensar caduca de Manuel de Pina e dos eleitos municipais do MpD para que a Ribeira Grande de Santiago possa RENASCER para o desenvolvimento”.

O Presidente do MpD convocou uma reunião e o partido vai esclarecer em público a questão.

  1. Carlos Monteiro

    Cabo Verde corre o risco de perder o que ganhou com o desenvolvimento do processo democrático, visto que a democracia nesse país atingiu a idade adulta, mas com essa forma de fazer política, por parte de alguns dirigentes nacionais e de militantes de base do partido que sustenta Governo e algumas Câmaras Municipais. Exemplos claros é o que aconteceu com dois funcionários da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo e agora com um vereador da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, só porque o vereador em causa tem ideia mais avançada na forma de fazer política que o Presidente da Câmara Municipal e os deputados da bancada do MpD. felizmente, o líder do partido e alguns dirigentes nacionais têm outra forma de fazer politica, porque têm consciência clara que o poder não é eterno, mas sim, que existe sempre possibilidades de alternância. Ainda Bem…

  2. Alcides de Pina

    De facto Sr Apolinário deve ser afastado de Ribeira Grande de Santiago o mais rapidamente possível porque desde que aquele Expert chegou a Camara, Manuel de Pina ficou sem espaço para mamar. As mamas da vaca ficaram mais curtos como as das vacas tradicionais.
    De jeito que cercou o meu irmão é claro que existe uma só solução que é afugentar o gajo.
    Nesta Camara niguém pode mandar se não for nós os familiares de Pina.
    Ficou claro agora?
    Nem Sr. ULISSES pode vir cá dar ordens porque senão apanha também. Tenho dito…..

  3. Carlos Monteiro

    Cabo Verde corre o risco de perder o que ganhou com o desenvolvimento do processo democrático, durante os vinte e seis anos, visto que a democracia nesse país atingiu a idade adulta, mas com essa forma de fazer política, por parte de alguns dirigentes nacionais e de militantes de base do partido que sustenta Governo e alguns presidentes das Câmaras Municipais. Exemplos claros é o que aconteceu com dois funcionários da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo e agora com um vereador da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, só porque o vereador em causa tem ideia mais avançada na forma de fazer política que o Presidente da Câmara Municipal e os deputados da bancada do MpD. Felizmente, o líder do partido e alguns dirigentes nacionais têm outra forma de fazer politica, porque têm consciência clara que o poder não é eterno, mas sim, que existem sempre possibilidades de alternância. Ainda Bem…tenho dúvidas quanto as declarações do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande, a propósito do incidente. Alias, esta questão foi para Assembleia Municipal, para o mesmo esquivar-se do conflito que teve com o vereador em questão, porque podia perfeitamente, usar o seu poder legal, para o demitir, sem que passasse para o poder deliberativo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.