Portugal e Brasil levam milhares ao delírio no primeiro dia do festival Baia das Gatas 2017

12/08/2017 10:52 - Modificado em 12/08/2017 11:06
| Comentários fechados em Portugal e Brasil levam milhares ao delírio no primeiro dia do festival Baia das Gatas 2017

Trigésima edição do festival Baia das Gatas a decorrer sob o signo da juventude, com o primeiro dia do evento a ser avaliado pelos presentes, como um grande “estrondo”, isto principalmente pela presença “delirante” da artista brasileira Joelma, indubitavelmente a melhor da noite, segundo alguns presentes no areal da baia.

Escalada para fechar o palco em dia de abertura, a Joelma que pisa o palco do maior festival de música do país, pela segunda vez, a primeira foi em 2013, ainda como membro da Banda Calypso, levou o público ao delírio que não arrecadou pé até as 05:30 desta manha, sensivelmente até as 06:40.

A ex-integrante da banda Calypso compensou-os com uma atuação energética e uma performance arrebatadora, durante uma hora e pouco de show, a apresentação foi marcada por confetes e danças ritmadas, Joelma e banda não desiludiram o povo de São Vicente, que mostrou não ter esquecido a energia contagiante da cantora, nem das músicas que fazem parte do seu repertório de sucessos, que vibrava e cantava com cada nota. E o famoso “porquê parou, parou porquê”, entoado pelo público assim que terminou a atuação da cantora, que mais uma vez deixa a sua marca no palco de Baia das Gatas.

“Amo esse povo”, declarou a cantora ainda em palco, que fez uma apresentação que tirou os pés do chão de quase todos os presentes no areal.

Mas antes de Joelma, a madrugada contou com a presença de Badoxa, também uma das presenças mais aguradas do festival. O intérprete de sucessos como “Controla” e “Sabor a Maracujá”, “Tá-me Esperare” e outros, fez a sua estreia no festival, com uma atuação de fazer vibrar qualquer presente.  E apesar de um atraso de uma hora, por problemas técnicos da sua banda, quando este subiu ao palco o relógio marcava 3:30, mas o imprevisto foi esquecido com uma atuação bem “quente”, a fazer dançar aos presentes sob os ritmos do Kizomba, e do Semba, durante os 70 minutos. de atuação.

EC

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.