“RAPtrsopektiva: História de Rap de Soncent”, uma parte da cultura de São Vicente

10/08/2017 02:13 - Modificado em 10/08/2017 02:13
| Comentários fechados em “RAPtrsopektiva: História de Rap de Soncent”, uma parte da cultura de São Vicente

Fazem parte da primeira geração do Hip-Hop Crioulo, no tempo em que ainda nem sequer se sabia o que isso era.

Quando a música Rap começou a atingir os cantos e recantos das ruas da Cidade do Mindelo, muitos sabiam do que se tratava e que estilo de música estavam a ouvir. Foi em 1994 que começaram a ser ouvidas as primeiras badaladas de rimas em língua cabo-verdiana pelo grupo fundador (Ice Company) de hip hop na cidade do Mindelo – São Vicente. De seguida, vieram os grupos BI, Bairro Norte, IPV, BFL, DAD, NIGGAZ SEM VIDA, etc., entre muitos outros, tendo uma forte audiência perante o público mindelense nas rádios e nos espectáculos.

De repente, houve uma explosão de grupos e Mc’s, mas hoje, são poucos os que restam. Apenas os que são verdadeiros e leiais à cultura Hip Hop. Muitos partiram e jamais voltarão  (mc’s come and mc’s go). Muitos são agora comerciais e é aí que tudo se transformou num caos.

Este ano, o Festival de música da Baía das Gatas fará uma retrospectiva do rap em São Vicente, com o projecto “RAPtrsopektiva: História de Rap de Soncent”

Com quatro grupos da primeira geração do Mindelo, ICE COMPANY, primeiro grupo a gravar rap em São Vicente com mensagens de protesto, representado por “ME2”. I.P.V (Irmãos pra Vida), oficialmente primeiro grupo de rap a subir num palco em São Vicente, segundo o post de ‎Lenine. “Kentfriu” Melo‎, ou DJ Letra, será representado por “Mo Green”, seguido do BAIRRO NORTE, que será representado por “Pais”. E, a fechar, BLACK SIDE, primeiro grupo de rap a actuar fora do país e o primeiro a gravar um CD oficial em São Vicente, onde percorreram os festivais, tocaram nas rádios e subiram vários palcos antes de se separarem. Lançaram o álbum “Black já djegá” (1996) que se tornou num clássico do povo das ilhas. Entretanto, até hoje continuam a marcar a diferença.

“Hip Hop  é o que vives e o Rap é o que fazes, se não fazes o Rap é porque não vives o Hip Hop”. By L.M

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.