Coreia do Norte diz que turistas americanos “são bem-vindos ao país”

4/08/2017 11:28 - Modificado em 4/08/2017 11:30
| Comentários fechados em Coreia do Norte diz que turistas americanos “são bem-vindos ao país”

A Coreia do Norte disse esta sexta-feira que a porta está “aberta aos turistas americanos”, apesar da proibição imposta por Washington aos seus cidadãos para que não viagem para aquele país, após a morte do estudante Otto Warmbier. A proibição dos Estados Unidos, que entra em vigor em 1 de setembro, foi justificada pelo “risco grave” de detenções de cidadãos norte-americanos por autoridades norte-coreanas, que representam “uma ameaça imediata para a sua segurança física.”

Os Estados Unidos tinham anunciado a intenção de impedir qualquer deslocação à Coreia do Norte após a morte de Otto Warmbier em 13 de junho. Este estudante norte-americano foi repatriado alguns dias antes para os EUA em estado de coma, após 18 meses de detenção na Coreia do Norte. Hoje, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte disse que os americanos são “bem-vindos”.

“A nossa porta está sempre aberta a qualquer cidadão norte-americano que quer visitar o nosso país de boa-fé”, disse o responsável em comunicado divulgado pela agência oficial de notícias KCNA. “Não há nenhuma razão para que os estrangeiros não se sintam seguros na Coreia do Norte, que tem um sistema estatal mais forte e mais estável”, disse.

A morte de Otto Warmbier acentuou as já fortes tensões entre Washington e Pyongyang, num contexto de corrida ao armamento nuclear pelo regime norte-coreano, que parecia já aguardar esta decisão. “Se o Governo americano diz que os americanos não podem vir ao país, isso não nos diz respeito”, declarou na semana passada à agência noticiosa France Presse (AFP) em Pyongyang Han Chol-Su, um alto responsável norte-coreano. Esta proibição regista algumas exceções no caso de “interesse nacional”, relacionados com critérios humanitários ou caso o requerente seja um representante da Cruz Vermelha.

De acordo com o documento do Departamento de Estado hoje publicado, estas restrições aplicam-se durante um ano e podem ser renovadas. Cerca de 5.000 turistas ocidentais, incluindo cerca de 1.000 norte-americanos, visitam anualmente a Coreia do Norte, segundo as agências de viagens que organizam estas deslocações, totalmente enquadradas pelo regime. O circuito mais comum prolonga-se por sete dias com um preço de cerca de 2.000 dólares (1.692 euros).

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.