POST : Por quê Abraão Vicente?

26/07/2017 04:37 - Modificado em 26/07/2017 04:37

Os holofotes continuam  a focar  o ministro da cultura . E Abraão Vicente não foge deles , pelo contrário vai á procura das luzes. E nessa posição acaba por estar exposto para o seu bem e para o mal . E acaba por responder  e dar a sua opinião  sobre diversos assuntos tidos como politicamente incorrectos  ou que pura e simplesmente não deveria responder como na resposta que deu ao jornal Observador sobre a Guine Equatorial. Mas em Cabo Verde não existe o delito de opinião , na  Guine Equatorial  sim .E o ministro tem sido julgado na opinião pública pelas suas opiniões e não pelos seus actos . Devido a isso criou – se uma opinião pública que pede a demissão do  ministro da cultura  sem se entender por que ele e não o Ministro do Interior  , da Saúde , da Justiça ou da Presidência dos Assuntos Parlamentares se avaliarmos os actos e não as opiniões.  Se o factor de avaliação é quem fala mais o ministro da cultura  já devia estar na rua. Se são os actos  , os erros  , a incompetência  no exercício das funções deixemos de tretas : em Cabo Verde nunca um ministro foi demitido por incompetência. A jovem democracia cabo-verdiana, também, criou os seus Brahmáns e foi se enrolando num sistema de castas, onde a casta do top “empenhada em nos transmitir o conhecimento” nunca é responsabilizada pelos seus erros: afinal nasceu superior. Pode tomar medidas políticas desastrosas, dizer asneiras, ser o cavalo onde a loucura se manifesta e nada lhe acontece. Afinal é o senhor das criaturas, pode ostentar a sua riqueza que ninguém quer saber de onde ela vem ,basta ser rico. Não importa se há pouco anos era um mero e mal pago gestor público. Pode mudar de lado por mera convivência: ontem fazia leis contra os bandidos e hoje defende bandidos, pago a peso de ouro; ontem defendia a terra por amor e hoje vende a terra por tostões , ontem achava que não havia razões para demitir os ministros responsáveis pelo descalabro dos TACV , a ministra politicamente responsável pela tragédia do Navio Vicente  para não irmos aos governos de Pedro Pires e Carlos Veiga , hoje acham que se deve demitir um ministro  cujo maior erro  é não sabe estar calado.      

Mas  Abraão ignora que o silêncio é de ouro e continua a assumir o papel do tagarela de serviço  e numa entrevista a RDP , fazendo jus a esse estatuto,    considerou que “  se está a inventar analistas para “camuflar” a opinião pública.  Também respondeu a possibilidade  do seu afastamento do governo criada por esses analistas que ele considerada inventados “O Dr. Ulisses Correia e Silva sabe que eu sou uma pessoa remodelável a qualquer momento. Ele sabe que eu sairia do Governo, que tenho um mandato como deputado, voltaria ao Parlamento e não causaria nenhum problema à Governação. E no dia em que houver qualquer sinal que eu como ministro possa prejudicar a governação do país, eu mesmo tomarei a decisão de sair”. Para os que procuram motivos para continuarem a pedir  a sua demissão , o ministro  esclarece” vou continuar a tomar medidas provavelmente alguma delas impopulares porque o trabalho que o Ministério da Cultura tem estado a fazer em nada belisca aquilo que são os grandes objectivos do Governo”.

 

Eduino Santos 

  1. djosakul

    caro Eduino,

    Acontece que Abraao tem crise de identidade e complexo plus sindrome de mediatismo. Assim foi enquanto estudante em Lisboa onde queria a todo o custo ser o centro de tudo. Julga que o mundo roda em torno dele.

    Duvido dos resultados da sondagem……a sua postura eh estrategema para ocultar a sua incompetencia. O que eh ele fez ate entao na vida….que me digam!! enrtevistas de baixo nivel……

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.