França quer acelerar expulsões de clandestinos sem status de refugiado

13/07/2017 17:19 - Modificado em 13/07/2017 17:19

O primeiro-ministro francês Edouard Philippe apresentou nesta quarta-feira (12) um projeto para acelerar a análise da situação dos imigrantes que pedem asilo. As medidas também preveem a expulsão imediata dos clandestinos que não preenchem os requisitos para obter o status de refugiado.

De acordo com o primeiro-ministro, um projeto de lei será apresentado em setembro. O ministro do Interior, Gérard Collomb, declarou que os pedidos de asilo serão tratados em seis meses, contra um ano atualmente. Em relação aos refugiados que têm direito ao asilo, o premiê declarou que a França deve ser “exemplar” no tratamento da documentação.

O primeiro-ministro também prometeu que devem ser criadas 4 mil extras vagas em abrigos temporários em 2018 e 3500 em 2019 para os estrangeiros que solicitam asilo, além de 5000 vagas provisórias para favorecer a transição dos refugiados para moradias permanentes.

Imigrantes econômicos

O governo francês quer aperfeiçoar, nos processos burocráticos, a distinção entre os imigrantes econômicos e os refugiados oriundos de países em guerra, por exemplo. A ideia é ter mais firmeza na expulsão de estrangeiros que vêm à França clandestinamente por “opção”.

O premiê lembrou que, em 2016, dos 91 mil estrangeiros em situação irregular, apenas 31 mil receberam uma notificação para deixar o território, e menos de 25 mil retornaram aos seus países de origem. Édouard Philippe disse estar consciente da “dificuldade dessa questão”, e afirmou que as medidas serão detalhadas no projeto de lei.

  1. Anete Vital

    Espero que Cabo Verde tome este problema a sério. Imigrantes? onde não podem trabalhar têm de fazer porcarias para se safarem.
    Não me venham com fraternidade que isso é quando temos que partir. E nada temos, estamos completamente partidos. Os que querem dar não têm e os que têm não querem partir. Pelo contrario; choram por mais.
    Com tanta assimetria nunca teremos simetria.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.