Governo: Vigilância pública a partir de 2018 para diminuir a criminalidade

11/07/2017 02:26 - Modificado em 11/07/2017 02:26
| Comentários fechados em Governo: Vigilância pública a partir de 2018 para diminuir a criminalidade

O objectivo do Governo é diminuir a criminalidade de trinta por cento. E, como proposta, o Governo anuncia o projecto Cidade Segura, com a primeira fase a ser implementada no primeiro trimestre de 2018, na Cidade da Praia, com extensão depois para a ilha do Sal e de São Vicente. O Ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, falando com a imprensa sobre o projecto, avança que “a polícia por si só não resolve” o problema. E acrescenta que este “exige uma abordagem multidisciplinar”.

O Ministro está ciente “do clima de impunidade” que se vive na ilha. E fala em menos ocorrências, menos homicídios, mas com uma incidência de crimes violentos.

Como primeiro passo para a implementação do projecto Cidade Segura, o Governo assinou um protocolo com a empresa multinacional chinesa de telecomunicações, Huawei. Para o Ministro, o projecto irá mudar a forma como se gere e encara a questão da segurança pública. Avança que se trata de um sistema de segurança moderna com recurso a novas tecnologias. Assim, recorrendo às novas tecnologias, o Governo pretende instalar o sistema de videovigilância pública e, com este propósito, criar o centro operacional e também o número único de urgências que servirá tanto para emergências policiais, como médicas ou bombeiros.

“Trata-se de um conceito de segurança moderna, assente na tecnologia e que a coloca ao serviço da segurança pública e das comunidades”, afirmou o Ministro da Administração Interna.

A preocupação com o novo serviço de videovigilância prende-se com a privacidade dos cidadãos. A isso, o Ministro responde que se “está a falar de vias públicas, nada mais, lugares públicos sujeitos à videovigilância”. E para o Ministro, o assunto é a segurança e está-se a acautelar para que os direitos e garantias dos indivíduos sejam respeitados.

Este anúncio surge numa época em que o país tem lidado com vários crimes de homicídios e assaltos. Somente no último fim-de-semana, três assaltos no Mindelo renderam aos meliantes mais de mil contos. O último nesta segunda, com recurso a uma arma de fogo para pressionar as vítimas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.