PAICV São Vicente demarca-se das acusações de que a manifestação de 05 Julho está ligada ao partido

4/07/2017 08:03 - Modificado em 4/07/2017 08:04

Os 42 anos da independência de Cabo Verde estão a ser assinalados com manifestações sociais em São Vicente, com destaque para a manifestação de “Soncent” e também em algumas ilhas do país e esta marcha foi um momento simbólico representando os 40 anos em que Cabo Verde construiu a sua democracia, afirma os promotores desta iniciativa.

Sobre a “manifestação de Soncent” no dia 5 de Julho, o líder do PAICV utilizou as redes sociais, o Facebook para esclarecimento “relativamente ao assunto em título, devido às inúmeras acusações injustas e infundadas de que o PAICV – São Vicente tem sido alvo”.

Alcides começa a esclarece que o “PAICV é um partido político maduro, responsável e ciente do seu papel na sociedade cabo-verdiana. Sabe distinguir perfeitamente os momentos em que deve intervir e os momentos em que deve observar e escutar atentamente. Este é, sem dúvida, um dos momentos de observar e de escutar”.

Portanto, qualquer tentativa de conotar a manifestação com o PAICV é pura fantasia de quem tem interesses inconfessados em transformar uma acção cívica numa acção política.

Inclusivamente, o PAICV – São Vicente já suspendeu a marcha da independência, tradicionalmente realizada no dia 5 de Julho, precisamente para evitar quaisquer interpretações despropositadas e abusivas. Eu próprio tenho evitado qualquer comentário sobre o assunto, mesmo enquanto cidadão, para respeitar o espaço da iniciativa da sociedade civil.

Portanto, o PAICV, enquanto partido político, não tem qualquer intervenção, seja de que natureza for, nesta manifestação, e nem assumirá nenhum tipo de protagonismo com o intuito de tirar qualquer proveito político.

Qualquer acção ou pronunciamento individual de algum militantes, amigo ou simpatizante, naturalmente que é da sua inteira responsabilidade, e deve ser entendida no âmbito da sua cidadania participativa.

Por favor, não confundam, interessadamente, as coisas, porque também pode-se especular o contrário. Ou seja, que esta tentativa de conotação da manifestação com o PAICV tem origem determinada e propósitos definidos.

  1. Eduardo Oliveira

    A Manifestação não quer saber do PAIGC para nada. Os (ex-)simpatizantes – de todas as ilhas – são bem vindos mas os do partido podem ficar em casa.

  2. BREXIT

    Esta manifestaçao’ inoportuna pela escolha da data, ja nao sabem o objectivo. começaram com um falso pretexto agora pedem autonomia. mostra que nao conhecem o poder que os municipios teem…por outro lado para as outras ilhas seria óptimo porque assim teriamos a nossa marina em praia baixo; a nossa moave; o nosso porto grande em santa cruz; o nosso cais de pesca en portete; o nosso instituto maritimo portuario etc. BREXIT JA PA SAO VICENTE.

  3. Anete Vital

    Os partidos (ou seus représentantes não são chamados para a Manifestação na medida em um é culpado e outro cùmplice de todas as amarguras que sofrem pela parte dos sedeados na Praia. A Manifestação é no Mindelo mas não é de e para S.Vicente so. Ê o espelho todas as outras que sofrem pelo espreso e ganância da Repùblica de Santiago governada por uma cambada de odientos seres intragàveis.
    Tudo vai começar no dia 5 proximo e não vamos parar. Com ordem e respeito contra os incondicionais que so querem Praia, Praia e Praia.

  4. Sonvicent

    Porque é que não vou a manifestação? simples, porque na hora de festa, receber donativos dos políticos na altura das campanhas, na altura que patrocinavam as festas, cachupadas, feijoadas e convívios eu não participei e nem recebi nada, mantendo o meu carater e moral então porque tenho de participar de algo que não provoquei?? vão vocês e pagam a factura do que ja consumiram.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.