Fernando Dias: Um andebolista com sangue de campeão

29/06/2017 05:27 - Modificado em 29/06/2017 05:27
| Comentários fechados em Fernando Dias: Um andebolista com sangue de campeão

Fernando Dias é um atleta de 24 anos de idade e enverga as cores do Atlético Clube do Mindelo, clube onde esta época se sagrou, mais uma vez, campeão regional. O seu oitavo título ganho de forma consecutiva, isto após sagra-se penta no Batuque, já vai no tricampeonato no Atlético, tornando-se num fenómeno raro da modalidade na Ilha do Monte Cara, com uma evolução rápida em poucos anos.

Fernando que é natural de Monte Sossego, ao NN conta que o primeiro contacto com a modalidade foi na escola secundária na disciplina de Educação Física. A paixão esta, surgiu em 2008, na altura em que tinha apenas 15 anos quando, a partir dos jogos escolares foi seleccionado para participar nos jogos da CPLP no Brasil na categoria de sub-16. “Foi uma grande surpresa para mim, visto que naquela idade não pensava que algo do tipo poderia vir a acontecer. Mas fui seleccionado porque acharam que eu tinha algo para oferecer à equipa de Cabo Verde”, sublinha.

Para o camisola 10 do Atlético, o principal obreiro da sua evolução no mundo do Andebol foi o seu treinador Adelino Duarte ou simplesmente treinador Didi como é conhecido, por ser ele não só quem lhe abriu o caminho nesta modalidade com a convocatória em 2008, mas também a quem agradece por lhe ter ensinado tudo o que sabe até ao momento nesta modalidade.

Depois da convocatória em 2008, o atleta afirma que era para ser integrado logo na equipa do Batuque treinada por Didi, mas acabou por ingressar na equipa do Cruzeiros do Norte por uma época. O sonho de ser treinado por Didi acabou por se concretizar no ano seguinte, em 2010, quando se mudou para o Batuque, onde venceu de forma consecutiva cinco campeonatos regionais, saindo depois para o Atlético. O jogador de 24 anos afiança que mesmo estando a vencer no Batuque, começou a faltar algo e, já não se sentia feliz nem dentro e nem fora do campo, sentindo que lhe faltava um novo desafio para a sua carreira e, que o seu treinador já tinha saído antes para criar outro projecto (equipa).

A sugestão de mudar de ares, como explica Fernando, partiu do treinador Didi que sempre mostrou que queria contar com ele e de outro grande colega e amigo do Atlético na altura, que o abordaram para fazer parte desta equipa com poucos anos de existência, onde, segundo ele, a namorada também teve um papel decisivo, pois queria vê-lo novamente a jogar com mais felicidade.

Com a mudança para o Atlético, Fernando conseguiu alcançar mais um regional e foi considerado o melhor jogador do campeonato, mas um dos seus objectivos como Andebolista, era vencer um Campeonato Nacional, coisa que conseguiu logo na primeira época na nova equipa. “Com muita felicidade acabei por concretizar um sonho que era o de ser campeão de Cabo Verde, ainda por cima no ano de estreia no Atlético”, afirma.

As conquistas do meia distância do Atlético não ficaram por aqui e esta época juntou mais um campeonato ao rico palmarés, juntando aos cinco ganhos pelo Batuque, mais três ao serviço do Atlético. Contas feitas, o jogador já leva oito campeonatos regionais ganhos de forma consecutiva. Para o atleta, o segredo foi trabalhar muito, treinar com objectivos. “Ainda mais, comandado por um grande, mas mesmo grande treinador que é o Didi”, sustenta.

Com duas internacionalizações por Cabo Verde em sub-16 e sub-20, o atleta espera dar o salto e representar a selecção sénior do nosso país. “Acho que me faltam oportunidades, mesmo que Cabo Verde tenha grandes jogadores a jogarem a nível internacional, se me aparecer uma oportunidade vou agarrá-la da melhor forma possível. É por isso que digo que jogar a nível internacional é a melhor coisa que pode acontecer a um desportista da nossa terra”, atira o atleta.

Com olhos postos agora no nacional da modalidade, Fernando menciona que a equipa vai preparar-se bem para defender as cores da equipa e de São Vicente da melhor forma possível, com o objectivo de ganhar jogo a jogo. “Sabemos que o nacional não vai ser fácil e nunca o foi, mas claro que queremos sair vencedores”, concluiu o jovem jogador natural de Monte Sossego.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.