Nacional : FCF remete o caso para o conselho de disciplina e mantém data do jogo da segunda –mão

28/06/2017 13:35 - Modificado em 28/06/2017 13:35

A Federação Cabo-verdiana de Futebol reagiu a não realização do jogo entre o FC Ultramarina e o CS Mindelense, da 1ª mão das meias finais do Campeonato , ontem porque as portas do campo não foram abertas .O processo vai ser encaminhado para o Conselho de Disciplina para procedimento disciplinar e consequente enquadramento dos factos nas penas disciplinares que ao caso couber, nos termos do art. 21º do Regulamento de Disciplina e que são: a) Advertência; b) Repreensão registada; c) Multa; d) Indemnização; e) Derrota; f) Desclassificação; g) Baixa de divisão quando possa ter lugar; h) Suspensão e i) Interdição temporária do campo de jogos, quando possa ter lugar

Transcrevemos na integra o comunicado da FCF

Em função da não realização do jogo entre o FC Ultramarina e o CS Mindelense, da 1ª mão das meias finais do Campeonato Nacional, época 2016/17, a Direcção da Federação Cabo-verdiana de futebol (FCF), na posse dos relatórios da partida entretanto não realizada, vem tornar público o seguinte:
Às 14h30, conforme acordado na reunião técnica que teve lugar na manhã do dia 27 de Junho de 2017, as duas equipas (FC Ultramarina e CS Mindelense), a da arbitragem, a Polícia Nacional, os Delegados ao jogo da Associação Regional de Futebol de São Nicolau (RFSN) e o Comissário da FCF apresentaram-se no Estádio Orlando Rodrigues, na cidade do Tarrafal, em S. Nicolau, para a realização do jogo marcado para as 16h;
Entretanto, as portas do Estádio em causa encontravam-se fechadas e não foram abertas a hora marcada. Segundo consta, o responsável do Estádio é o sr. Francisco Cruz, que por coincidência é funcionário da Câmara Municipal do Tarrafal e jogador do FC Ultramarina;
Face à situação encontrada, os árbitros para o jogo em causa acordaram com as duas equipas uma tolerância de 30mn, ou seja, até às 16h30, para que o responsável do Estádio abrisse o recinto do jogo. Cumprido a tolerância, apesar dos esforços, o Sr. Francisco Cruz não foi localizado para mandar fazer a abertura do Estádio;
O FC Ultramarina, após a não realização do jogo, dirigiu uma nota à FCF, comunicando que “… o jogo não se realizou devido a não transmissão do recinto do jogo por parte da Câmara Municipal Tarrafal de São Nicolau, pelo que a equipa esteve desde 14:30 na frente do estádio para iniciar um dia de jogo supostamente normal (7 jogadores)”.
Perante este cenário, e decorrente dos factos apurados, a FCF decidiu o seguinte:
Remeter, ao Conselho de Disciplina, os Relatórios do jogo – entretanto não realizado – (da Arbitragem e dos delegados ao jogo), para procedimento disciplinar e consequente enquadramento dos factos nas penas disciplinares que ao caso couber, nos termos do art. 21º do Regulamento de Disciplina e que são: a) Advertência; b) Repreensão registada; c) Multa; d) Indemnização; e) Derrota; f) Desclassificação; g) Baixa de divisão quando possa ter lugar; h) Suspensão e i) Interdição temporária do campo de jogos, quando possa ter lugar;
Suspender, provisoriamente, o Estádio Orlando Rodrigues, não realizando nele qualquer prova e/ou jogo oficial organizado ou reconhecido pela FCF, enquanto decorre o processo;
Manter o calendário do CN inalterável, realizando-se o jogo da 2ª mão das meias finais entre o CS Mindelense e o FC Ultramarina no domingo , dia 02 de Julho, às 16h, no Estádio Adérito Sena, na cidade do Mindelo, em São Vicente.

  1. Nha nome

    FCF bzot larga esse cosa da mom. nem um jogo se bzot e capaz de realizá? por isso k nos seleção te assim, down, kkk. kem ka tem c… k te bibe mel.

  2. O culpado de tudo isto é a equipa do Ultramarina que já tinha dito que não iriam jogar 3ª feira, talvez estão com medo do Mindelense. Tomara que o Mindelense ganha por 7 a 0 em S.Vicente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.