Campus Universitário  :  Pro –Praia promete tudo fazer para não deixar o Governo ceder a pressão sãovicentina

28/06/2017 02:24 - Modificado em 28/06/2017 02:24

O Movimento Pro- Praia  reagiu  ás iniciativas de um grupo de sanvicentinos  que pretende  que o governo faça marcha-atrás na sua intenção  de construir o  Campus Universitário  da UNI-CV apenas na cidade da Praia  considerando que “A geração actual santiaguense não deixará que projectos desses, determinados oficialmente para Santiago, sejam levados de novo com base em argumentos estapafúrdios que vimos assistindo. Combateremos e inundaremos as instituições de abaixo-assinados para jamais deixar que desventuras do passado vinguem aqui e acções barradas outra vez, como o foi a cidade administrativa, plataforma de frio no porto da Praia, Djéu que fornecia carvão no passado etc”. Em declarações ao online Santiago Magazine , o presidente do Pro – Praia  diz que não entende os argumentos  contra a instalação  do Campus Universitário  da UNI-CV   e explica “o Campus Universitário foi correctamente caracterizado como projecto prioritário e urgente para Santiago, que é o mesmo que dizer para Cabo Verde porque nesta ilha as infraestruturas servem mais para os outros do que para a própria ilha. Isso ficou definido tanto pelo Governo como pela cooperação chinesa tendo esta transmitido às pessoas os critérios ponderosos que ditaram essa escolha”.

[1]

  1. sancent

    Vamos então ver o que vão fazer. Li na soncent k e tapadinha.No ta li ta esperás na tapadinha.

  2. Erika Melo

    Existe um movimento que se chama “Pro-Praia”???!!! Não seria “Pro-Cabo Verde”??!! Só o nome em si já é um absurdo…. nao tenho muito mais a dizer sobre isto….

  3. Julio Goto

    … a autarca Isaura Gomes desconfiava que existia uma forca politica cuja funcao era travar o desenvolvimento de Sao Vicente .
    Concerteza esse movimento e o Pro Praia,todos as suas acoes indicam.
    Apelo anos Saovicentinos para exigir respeito ,em caso nao formos ouvidos proclamaremos a Independencia.
    O Sudao Norte e Sul foi dividido POR uma Regua.
    42 anos da republica de Santiago deve chegar ao fim.

  4. Maria José

    Se serve mais para os outros das outras ilhas, entao porque nao faze-los logo nestas ilhas dos outros?

  5. Luis Graça

    Será a vez e a hora de São Vicente?
    Pelo contributo em prol da educação e relembro que SV foi pioneira em:
    Ensino pré escolar
    Primário
    Secundário
    Profissional e Escola Tecnica
    Ensino Sperior Cortiço Idec Mar Iscee

    SV merece, penso eu de que…

    Que haja ponderada e responsabilidade!

  6. Cândida Leite

    Por S.Vicnte ter sido a ilha pioneira em Educação, nos Desportos e expanção do nome de Cabo Verde é que nasceu a ciumeira com os nomes de Pro-Praia e Pro-Santiago.
    Concordaria com isso se tais fenômenos não fossem de carris politico com doses de xenofobia como se fossemos de tributos diferentes.
    Depois deitam culpas em cima os outros.

  7. Francisco

    Infelizmente devo citar as palavras do ex ministro António Delgado ” Praia anda a comer no prato de São Vicente”

  8. Maria Kabelo Bedju

    Engrasadus di sanbisentinos ki pa es Kabu Verde tem ki ser so la…Ma djasi nhos ta Sperta…Fika so ku bazoraia…Nhos bai fazi algu di util…Mas tambe n’ka sabi pake n’sta da nhos rusposta ki “SATISFASON DI BARRATA E AGU XUXU”…NU TEM MAS KUZA FAZI…Um ilha di tamanhu di munisipio di Sao Domingos, ki ta ta produzi o necessario pa vida kre atxa ma ta sustenta SANTIAGO, nhos tem kondisoes? Ago e si propi pamodi pa tenta das algu pes ka fika so na BIFE D’KANEKA txeu investimento tem stadu ta desviadu pa la ma gossi ka tem portuga pa nhos lixonxa e da pi…..pa nhos konvensi…Nhos manifesta ki di Santiagu nos e mas txeu…E n’ta spera ma kenha bisentinu ki ta papia mal di Santiagu ka sta li ta kumi….Nhos ta fala mal mas oras ki nhos bem nhos ka ta bai…

  9. tvu

    Di kanada PRO PRAIA, kre e leginha…no ebri oi..ka bsot skece q is lideransa d SV, e tud PRO PRAIA..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.