Abaixo-assinado  pede a China para repensar construção de Campus Universitário   só na Praia

26/06/2017 00:54 - Modificado em 26/06/2017 12:15

“Assim, vêm o abaixo-assinados solicitar ao Governo da República Popular da China para repensar a aplicação desse investimento (construção do pólo universitário da Cidade da Praia), repartindo o mesmo por, pelo menos, dois pólos, um em Sotavento outro em Barlavento, para benefício do país no seu todo”. Este é o pedido de um abaixo-assinado feito circular hoje na internet na tentativa que o investimento na educação por parte do Governo Popular da China seja para todos.

O Governo anunciou na última semana a construção do Campus Universitário da Uni-CV na Cidade da Praia. O abaixo-assinado foi criado por Alexandre X, como descrito na página. E nas justificações o mesmo adianta que o investimento estava inicialmente destinado para São Vicente. Mas, por decisão do Governo de Cabo Verde, o investimento foi desviado totalmente para a Praia, medida que, a ser implementada, poderá pôr ainda mais em perigo a coesão social, consequência que, seguramente, não será pretendida pelo seu país”.

E questiona se a razão da localização geográfica do Campus não é a centralização e a valorização de uma cidade em detrimento de outras, questionando “a que título e com que legitimidade um país com dez ilhas e população dispersa por nove pretende concentrar mais esta grande estrutura na Praia?”.

Sublinha que este aspecto é grave porque o país tem outras cidades com todas as condições para receber um campus universitário de bom porte. “Assim, não pretendendo construir o campus em São Vicente, ilha para onde o empreendimento foi destinado originalmente, não seria preferível dividir os 14 milhões de euros por 2 ou 3 pólos – Santiago, São Vicente e Sal, por exemplo – dotando cada um dos pólos de condições de especialização em determinadas áreas específicas?”.

Justifica que um país, para evoluir, precisa de várias coisas sendo a igualdade a nível da educação uma delas. “A construção do Campus Universitário na Praia irá sugar, a nível de educação superior pública, todos os meios para essa estrutura, inviabilizando todo e qualquer pólo da Uni‐CV nas outras ilhas. No entanto, só o igual acesso a um ensino público de qualidade a todos os estudantes cabo-verdianos irá permitir, nalguns anos, viver num país global com cidadãos mais instruídos, com melhor qualidade de vida e menos violência”, como finaliza a justificação para o abaixo-assinado.

 

  1. O Governo do Paicv desviou este projecto para ser construido na Praia ha muito tempo, razao que ninguem sabe, tendo em conta que era para ser construido em S.Vicente. Fiquei surpreso porque so agora depois de tantas negociaçoes, que o deputado deu conta disso.

  2. Djosa Neves

    Quando fizeram o primeiro Liceu em Cabo Verde, caso houvesse internet, haveria um abaixo assinado? Ou o abaixo assinado seria no tempo do Porto Grande? Nem um nem outro faria qualquer sentido e so seria uma manifestação de um bairrismo doentio de mentes fracas.

  3. CARLOS

    ESTOU DE ACORDO. NÃO DEVEMOS CENTRALIZAR TUDO NUMA SÓ ILHA. TODOS SOMOS CABOVERDEANOS. TEMOS QUE ACABAR COM OS PODERES POLÍTICOS.

  4. Maria Kabelo Bedju

    Más forti “rasa” meskinha ki kré parsi…ka nhos rekolhe a nhos devido lugar…KRÉ NHOS KA SABI MÉ NHU SANTIAGU KÉ PAI. Povo sem noção…

  5. Rui Monteiro

    Alexandre Xaze, nada contra bu protesto, so nsta espantado pq quando inicialmente bu sabia ma projecto era pa ser feito em Sao Vicente, bu ka teve ideia de faze es baixo assinado, ou seja, impreson q fica e ma se fosse na Sao Vicente staba td bem, mas por ser na Praia, isso ta representa desigualdade de opurtunidade entre ilhas!!!!!!!Sera q bu tem algo contra Praia???!!! Sera q se bu ta viveba na Praia es abaixo assinado tinha cabimento??? Ou bu tem algo contra Praia ou bu sta faze td isso pa bu parce, dcesculpan, e nha opinion. Bu sabi ma SV e ilha mais Industrial;izado de CV,mas nunca bu faze nenhum abaixo aqssinado ta pide distribuicao de fabricas pa td ilha,. Qual e bu real intensoes?????!!!!

  6. Temóteo V. Tavares

    A melhor solução seria: um campus no Maio, para servir Santiago e Maio; o segundo campus na Brava, para servir Fogo e Brava; o terceiro campus em Porto Novo, para servir S. Vicente, Santo Antão e Santa Luzia, o quarto em S. Nicolau, para servir S.Nicolau e, finalmente, um quinto campus, em Boa – Vista, para servir Boa – Vista e Sal. Assim, é o fim da teoria anacrónica do desenvolvimento com base em três pólos (Praia, S. Vicente e Sal) que ainda prevalece. Porque não assim? Ficaremos todos felizes, cada um com o seu “campusinho” da UNI-CV!

  7. Izidora Barbosa

    Uma atitude, no mínimo, patético e hilariante, que só descaracteriza os seus autores e deixa a nu a pequenez de espírito e a mesquinhice de uma certa gente que se auto-define de intelectuais, de iluminados e ilustres filhos destas ilhas. Longe vão os tempos em que as decisões importantes para o desenvolvimento do nosso querido Cabo Verde se tomavam com base em bairrismos doentios, cada um puxando a brasa para a sua ilha. Foi assim que o “ilustre” deputado por Cabo Verde, no início da segunda década do século XX batalhou para que se construísse o primeiro liceu em São Vicente e assim aconteceu em 1917, sem ter em conta a realidade do país, baseada unicamente em atitude bairrista e contrária a Cabo Verde. Hoje, diferente daqueles tempos, as decisões são tomadas tendo em conta o país e as suas necessidades sócio-económicas, geográficas e culturais e não os interesses bairristas de gente que vê curto e só alcança o seu umbigo e não assume o todo. Para essa gente Cabo Verde sempre foi São Vicente e não consegue enxergar a realidade. Felizmente, hoje a História está a fazer a sua justiça e as injustiças de ontem que muito prejudicaram os caboverdianos jamais farão escolas nestas ilhas porque os filhos das ilhas abriram olhos e os “sabidos” deixaram de ser habitantes exclusivos de São Vicente. Hoje, há liceus em todas as ilhas, há escolas em todos os povoados e universidades na Praia, na Assomada, no Mindelo e São Vicente deixou de ter o privilégio exclusivo de formar “sabidos”. Essa gente não tem a noção da História e ainda não deu conta que a História está a fazer o seu papel de repor a justiça, outrora ultrajada por esses pretensos protagonistas do bairrismo doentio. É a frustração do fenómeno secular da capitalidade que São Vicente sempre se batalhou e nunca venceu, apesar dos apoios do seu deputado. Felizmente sempre houve gente de bom senso nestas ilhas.

  8. Todas as infraestruturas ligadas à pesca/porto (o maior porto, guarda costeira, frescomar, plataforma de frio, AMP, Direção nacional das pescas… etc) estão situadas em São Vicente. Algum, Santiaguense reclamou? Não. Sabem porquê? Porque São Vicente é uma parte de Cabo Verde. Portanto, onde quer que seja feito, é de CABO VERDE.

  9. VT

    São Vicente é um ilha como as outras, portanto, peço as pessoas das outras ilhas para fazerem exigência tal como São Vicente tem estado a fazer para ter igual direito que Praia, Capital de um País deve ser diferente das outras Cidade do País, pois isso é bairrismo triste e sem vergonha do pessoal de São Vicente.

  10. Verdade

    Oh jota dizer que só agora o ex-deputado deu conta disso, é mostrar o quanto tens estado desatento

  11. A tomada de decisao sobre a escolha da construçao do Campus Universitario na cidade da Praia, foi em 2014, saiu ate nos jornais e porque so agora o abaixo assinado tendo em conta que o projecto esta concluido.

  12. Julio Goto

    … gostaria de saber qual e aposicao do Manuel Inocencio .

  13. Agostinho Fonseca

    Engraçado, não é, Sr. Temotio Tavares ?
    So crianças brincam com coisas sérias.
    Continua assim e vai ver onde vai parar.

  14. Alexandre Novais

    Caros leitores, todos sabem do amor que tenho pela ilha de Santiago, pela sua musica e a sua variante crioula, e que me sinto particularmente bem (ainda) em Santiago. Que merece como qualquer outro grande centro urbano acesso sustentável ao Ensino Superior. Isso não está, nunca esteve nem nunca estará em causa. E vou repetir as vezes que forem precisas, não entro nessa luta de Praia ma Soncent. Esta luta não é uma luta entre cidadãos. Nunca poderia ser. Trata-se de exigir ao Governo de Cabo Verde, eleito por todos e para todos nós que tenha melhor em conta na sua distribuição/planificação de investimentos/recursos a nossa dispersa e descontinua territorialidade. Investir mais uma vez num colosso em Santiago Sul unicamente é abusivamente institucionalizar graus de oportunidades diferentes aos nossos jovens consoante a sua ilha/municipio de residência. E ISSO É INCONSTITUCIONAL. Porque uma tão grande estrutura num país tão pequeno, não deixará margens (em termos de Ensino Superior Publico) à instalação de seja qual for outro pólo de universidade com um minimo de excelência que é o que todos queremos. Nem em Santiago Norte nem em nenhum outro Municipio deste país. E isso mesmo que de fonte segura e compreensivél levando em conta tudo o que o Governo chinês já realizou no Sul do país, que este investimento tivesse sido planeado para São Vicente, seria uma igual aberração uma infraestrutura dessa natureza sediada em SV. O que se está a pedir é que se reequacione essa instalação entre Sotavento e Barlavento. Não é entre Soncente e Praia e muito menos entre Soncente e seja qual for o outro Municipio igualmente sofredor da actual Centralização. Agora please, se a luta é por mais igualdade entre os caboverdeanos, batam palmas por uma decisão mais caboverdeana do que a actual, a repartição da construção prevista entre Norte e Sul. Brassa dali d Nort.

  15. Alexandre Novais

    Temos de fazer o exercício de reflectir a construção do Campus Universitário na sua dimensão de medida pública, de medida com vista a dar o melhor serviço aos cidadãos caboverdeanos, TODOS os cidadãos. Temos de fazer o exercício de reflectir a construção do Campus Universitário somente na Praia na sua dimensão de interesse colectivo para a Nação. Estamos noutros tempos, a população cabo-verdeana tem hoje outras expectativas em relação ao Poder Central. Ainda vamos a tempo desta decisão ser reavaliada, reajustada e certamente redireccionada. Que fique aqui expresso o nosso desejo. Uma BOA GOVERNAÇÃO é também avaliada pela sua capacidade de se AUTO QUESTIONAR…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.