UCID: “Existe um vazio nas políticas para juventude em São Vicente”

20/06/2017 13:17 - Modificado em 20/06/2017 13:42
| Comentários fechados em UCID: “Existe um vazio nas políticas para juventude em São Vicente”

A UCID em São Vicente volta a demonstrar sua preocupação com as politicas da edilidade local no que diz respeito a juventude. João Luís, coordenador local da UCID, tinha chamado atenção do “descaso e abandono da edilidade em relação aos centros de juventude”.

João Luís leva em conta algumas transformações nas políticas nacionais de juventude, em que os centros de juventude passaram para a responsabilidade das câmaras municipais.

“Este novo contexto, tende a produzir alguma inércia e, ou, descaso por parte da CMSV, que não tem sabido o que fazer em relação à juventude de São Vicente, o que vem dando razão a direcção regional da UCID, que diversas vezes disse que a CMSV não tem uma politica assertiva para a juventude”, como afirma João Luís.

Para a UCID a edilidade não tem conseguido lidar com as instruções do governo central. E na questão de a gestão dos centros de juventude ficarem sob responsabilidade das câmaras, para João Luís ainda o executivo, o presidente e a vereadora, “não assumiram as suas responsabilidades perante a juventude desde as últimas autárquicas”.

E neste ponto a UCID considera que juventude de São Vicente ”está a deriva, entregue a sua própria sorte, por falta de uma política municipal de juventude que possa dinamizar” os jovens.

E elenca uma série de decisões da edilidade para demonstrar a falta de política para área. O Conselho de Juventude “que não funciona, por culpa do seu presidente”, que é o edil local. O festival Lazareto Games que foi “realizado parcialmente em Setembro”. A semana da juventude que “desta vez não foi realizada por falta de interesse da CMSV”.

E questiona quais as acções da CMSV que tem beneficiado os jovens.

“O universo juvenil de São Vicente é complexo e bastante expressivo, compreendendo múltiplas singularidades, que precisam ser levadas em consideração, na elaboração e implementação de políticas públicas municipais”. E na elaboração de política sugere duas noções fundamentais: oportunidades para adquirir capacidades, através do acesso da educação e qualificação profissional. A outra noção é a oportunidade para utilizar as capacidades, com acesso ao mercado de trabalho, ao crédito, deporto, lazer e cultura.

“No momento das eleições, nas campanhas eleitorais, o presidente a câmara usa e abusa dos jovens, e depois das eleições esquece estes mesmos jovens. O presidente neste momento está preocupado em retirar propostas de trabalho aos jovens” como argumenta oferecendo o caso das roulottes como exemplo.

E assim o partido exige melhores políticas por parte da câmara para a juventude, considerando que existe um vazio neste aspecto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.