Taxa de 2,30 g/l de álcool no sangue dá multa de 8mil escudos

11/10/2012 00:04 - Modificado em 10/10/2012 23:57

Um indivíduo, de 49 anos, foi condenado a pagar uma multa de 8 mil escudos por estar a conduzir sob efeito de álcool e por fazer uma manobra perigosa na Av. Alberto Leite. De realçar que o arguido estava a conduzir com uma taxa de 2,30 g/l de álcool no sangue.

 

A detenção do indivíduo aconteceu no domingo, depois de realizar uma manobra perigosa na Av. Alberto Leite.

O arguido apresentava sinais de embriaguez, por isso foi submetido a um teste de alcoolemia que acusou 2,30 g/l de álcool no sangue. Deste modo a Brigada de Trânsito apresentou-o as instâncias judiciais sob acusação do crime de condução sob efeito de álcool.

Em tribunal, o acusado afirmou que “fui pescar no sábado com um grupo de amigos no Calhau e durante essa estadia ingerimos bebidas alcoólicas. E no domingo quando regressamos à cidade fui deixa-los a casa e foi então que aconteceu o incidente. Fui submetido a um teste de alcoolemia que apresentou essa taxa descrita na acusação”.

Com a confissão do arguido, o tribunal deu como provado os factos da acusação pelo que decidiu aplicar-lhe uma multa de 8 mil escudos, mas que foi convertida em 53 dias de prisão, caso o acusado não pague essa multa.

  1. Observador

    Só 8.000 Escudos, assim sendo o crime compensa para este caso. Não ficou com inibição de conduzir durante um tempo. Perante este facto cai por terra a ideia de Quem Bebe não Conduz…

  2. Gio

    8.000$00 só! Será que dá para pagar as despesas que tiveram com o processo? E qual foi a sanção acessória aplicada? Inibição de conduzir por um determinado tempo ou não pensaram nisso.

  3. Mindelense

    Penso que, se o indivíduo não é reincidente, leva uma multa, numa segunda vez, deverá ser apreendido a licença de dirigir, aplicar uma segunda multa e cumprir serviços comunitários.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.