Polícia Nacional criticada devido à sua ausência na manifestação dos moradores do Lazareto

12/06/2017 01:09 - Modificado em 12/06/2017 01:10

Este sábado, Mindelo recebeu, de manhã, uma manifestação pacífica contra a política ambiental da Câmara Municipal de São Vicente, mais concretamente contra o vazamento de esgoto da zona do Lazareto, provocado pela fábrica de processamento de peixes, segundo os moradores.

De acordo com os responsáveis, “os manifestantes comunicaram previamente à polícia o trajecto dos seus protestos. “O papel da polícia é garantir que consigamos fazer o trajecto que escolhemos, de forma segura, por ser uma manifestação pacífica. Para isso, temos uma concentração e as autoridades devem ser previamente avisadas sobre os protestos pelos seus organizadores”. Apesar disso, os manifestantes seguiram de forma organizada, sem causar tumultos pela cidade.

Com cartazes apelando à resolução do problema, “Lazareto está mergulhado no esgoto” Descaso? Incompetência? Ou Interesses Financeiros? O porta-voz dos manifestantes, Eduino Nascimento diz que a população não está a “mendigar nada, por isso mesmo, não temos medo de sair à rua para exigir os nossos direitos. Ao contrário, eles têm medo de discutir e preferem esconder-se, possivelmente porque têm algo a ganhar. Estamos a sofrer e pedimos uma solução”.

Este mostrou-se ainda contente pela adesão das pessoas, principalmente dos que sofrem directamente com o problema que, com as próprias famílias, juntaram a pequena multidão para reivindicarem a resolução do problema. “Basta de meias soluções”, acrescenta

Eduino Nascimento conta que a situação já se arrasta há três anos, altura da ligação da fábrica FRESCOMAR à rede de esgotos do Lazareto. Mas esta ligação não consegue aguentar o fluxo de águas residuais e acaba por vazar resíduos no mar, deixando um rastro de cor verde e um cheiro insuportável que prejudica os moradores.

Uma situação considerada pelos manifestantes como vergonhosa. “Não é possível estarem há três anos a empurrar a culpa de um lado para outro. Enquanto isso, nós temos uma praia contaminada, um cheiro insuportável a invadir as casas, pessoas a respirarem ar poluído e já chega disso”, desabafa um manifestante que considera esta situação como “pura hipocrisia, porque se fosse perto das casas deles, a situação já estaria resolvida”.

“É um autêntico inferno e sofrimento que essas pessoas têm. Já chega! Esta manifestação deveria ter sido feita há muito tempo”.

A manifestação dos moradores do Lazareto contra o “não somos ratos para viver no esgoto”, estamos sufocados, mira a solicitar a resolução definitiva do problema de vazamento de esgoto que causa mau cheio e polui o mar.

  1. fernando fortes

    A situação é inaceitável e os moradores em toda a razão.
    Compete a Câmara Municipal, impor medidas corretivas a Frescomar.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.