População reage sobre Acórdão do TC “ à espera do pronunciamento do responsável pelas calúnias”

12/06/2017 00:44 - Modificado em 12/06/2017 00:44

 Sobre a apreciação das contas da Câmara Municipal de São Vicente, relativa aos anos de 2007 a 2011 que envolvem a gestão de Isaura Gomes até 2010 e de Augusto Neves depois, foi decidido que a ex-autarca deveria pagar sete mil escudos por um pagamento indevido a um passeio dos fiscais da edilidade para celebrar o 1º de Maio.

Uma decisão que iliba a ex-Presidente Isaura Gomes e reafirma a sua inocência perante as acusações de gestão danosa feitas pelo PAICV.

Este online, como forma de saber o que pensa a população, pelo menos uma parte, sobre esta decisão, saiu às ruas para ouvir diversas vozes.

Sobre esta decisão, a população mindelense é contraditória. Enquanto que uns defendem que deveria ser feito um pronunciamento por parte dos acusadores, desculpando contudo, a “ZAU”, como é conhecida no seio mindelense, bem como toda a sua equipa, já que não existem margens para dúvidas sobre a sua inocência.

Outros são mais práticos ao afirmarem que esta decisão só veio provar a falta de capacidade de investigação do país, com um veredicto considerado “desrespeitoso para com a população”.

Os que ficaram satisfeitos com esta decisão, apesar de alguns não serem apoiantes do MpD nem de Isaura Gomes, afirmam que o objectivo era simplesmente o de denegrir a imagem da ex-autarca que foi de tal forma atacada.

Elton Neves, morador da zona de Ribeirinha disse que todos sabíamos que o que fizeram à “Zau” foi uma manobra política que, infelizmente, o Tribunal de Contas só vem esclarecer essa calúnia 6 anos depois. “Fizeram-se denúncias que agora estão a dar em nada e a população vai entender isso gradualmente”.

“Quiseram tirar o brilho e a vida dessa mulher mas isso é algo que nunca vão conseguir, porque o bem que ela fez ao povo de São Vicente e a todos os que precisaram dela sobrepõe-se a todas essas acusações que agora se provaram infundadas”, diz uma moradora que afirma agora estar à espera de algum pronunciamento de João do Carmo, responsável por estas “calúnias”

Por outro lado, as acusações contra a ex-autarca que ainda se encontra com problemas de saúde, não fazem com que fica impune e deixam claramente a opinião de que não acreditam em nada do Acórdão do Tribunal de Contas.

“Só o facto da senhora ter sido Presidente de uma Câmara não faz com que seja impune à justiça. Foram cometidas irregularidades e crimes, e todos os envolvidos deveriam responder por isso, e ser-se condenado a pagar sete mil escudos é uma autêntica palhaçada de como funciona a justiça neste país”, atira Josiane Dias.

Esta continua afirmando que quando o MpD escolheu Isaura Gomes como candidata do partido para as autárquicas em São Vicente, toda a população sabia que ela não tinha as mínimas condições para o respectivo cargo.

“Essa história dela ser a primeira mulher a ser Presidente de uma Câmara em Cabo Verde e tal, foi só para enganar o povo, que mesmo sabendo disso a colocou no poder. Então, agora, deixe-se de se queixar.

De relembrar que Isaura Gomes renunciou ao cargo em Junho de 2011.

  1. TC&TJ

    Sei que não vos convém publicar a minha opinião mas não estão a confundir tribunal de contas com tribunal judicial?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.